domingo, 3 de abril de 2016

"Domínio do fato" para Joaquim Barbosa?

Por Luiz Carlos Azenha, no blog Viomundo:

Messi, Macri, Mubarak, Eduardo Cunha, Joaquim Barbosa. Os #panamaleaks estão bombando. A empresa Mossack & Fonseca avisou seus clientes, ontem, que tinha sido vítima de uma invasão de seu banco de dados.

Na verdade, há mais de um ano o Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos, ICIJ, numa parceria que envolve 100 empresas jornalísticas de todo o mundo, está debruçado sobre os registros de mais de 214 mil empresas offshore criadas pela Mossack. Algumas podem ter servido a propósitos legais. Mas, na maioria das vezes, trata-se de esconder dinheiro sujo, sonegar imposto ou esconder patrimônio.


O ICIJ promete que vai divulgar a lista completa das empresas em maio.

Joaquim Barbosa, o Batman do mensalão, segundo descreveu hoje o Miami Herald, escondeu o preço do apartamento que comprou em Miami, na Flórida: U$ 335 mil dólares em dinheiro. Os brasileiros poderiam ter descoberto este valor se Barbosa tivesse pago os impostos locais, já que eles são relativos ao valor total da transação. Mas, os U$ 2 mil nunca foram pagos!

Foi a Mossack quem criou a empresa de Joaquim Barbosa, Assas JB1, registrada nas ilhas Virgens Britânicas.

Ouvido pelo Miami Herald, Barbosa culpou a intermediária que cuidou da transação por não pagar os impostos locais e disse que qualquer pessoa com acesso a um serviço privado, exclusivo de corretores de imóveis, poderia ter descoberto quanto ele pagou pelo apartamento em 2012. Isso, de um campeão da moralidade pública que, no julgamento do mensalão, cobrou transparência alheia! Cabe, neste caso, utilizar a teoria do “domínio do fato”?

Mais em um minuto!

1 comentários:

Antonia Cruz disse...

Ontem perguntei pra ex-ministro Barbosa, ele que foi relator do STF, se este caso: Se alguém do mensalão tivesse aberto 01 Offshore pra compra de imóveis, o que ele teria dito desta pessoa? Julgaria que se tratava apenas de uma coisa legal, ou, já de cara solicitaria sua condenação?
Ele postou no Twitter que não fez nada de errado. Foi quando fiz a pergunta.
Até agora ele não me respondeu e nem vai responder. Mas é muito estranho e precisa ser feito uma investigação, não por ser ilegal, que talvez não seja, mas pelas as datas que tudo ocorreu justamente em 10/05/2012.
10/05/2012 Joaquim Barbosa entregou o parecer de seu relatório pra o julgamento do mensalão.
10/05/2012 era criada a sua Offshore A. JB1
14/05/2012 a compra do apartamento foi efetuada.

Pode ser apenas coincidência? pode! Mas, uma investigação cai bem e tira nossas dúvidas.