segunda-feira, 4 de julho de 2016

"Fora Temer" chega à Arena Corinthians

Por José Luiz Teixeira, no site Vermelho:

Mais conhecido como "O Clássico das Multidões", o jogo entre os clubes mais populares do Brasil, Corinthians versus Flamengo, entrou para a história de lutas pela retorno da democracia, gravemente atingida por um golpe parlamentar.

Faixa erguida no setor Leste Inferior da Arena Corinthians exige: "Fora Temer"

Faixas pela "Volta da Democracia" e "Fora Temer" foram erguidas nas arquibancadas em Itaquera. Também houve manifestação contra a Globo golpista e repúdio à cultura do estupro e machismo.

O ato, realizado no dia 3 de julho , reuniu o coletivo Levante Popular da Juventude, Coletivo Democracia Corinthiana e Raça Rubronegra. Foi visto por milhões de espectadores. Houve forte repercussão nas redes sociais, proporcional à grandeza dos clubes envolvidos. Foram registrados milhares de compartilhamentos das fotos do evento.

A notícia também ganhou destaque no Blog do Juca, Diário do Centro do Mundo, Mídia Ninja, Jornalistas Livres e demais blogs progressistas. O jornalista Antonio Fon, ex-preso político torturado pela Ditadura Militar, que participou da manifestação pela anistia ampla, geral e irrestrita há 37 anos numa partida do Corinthians, também esteve presente no ato.

As tentativas de esconder as mensagens contra o golpe por parte da principal emissora golpista não surtiram efeito. A partir dos 24 minutos de jogo no segundo tempo, a faixa "Volta, Democracia" foi vista claramente nas proximidades da lateral do gramado, permanecendo por alguns minutos até ser retirada por seguranças. Tempo suficiente para expor a vontade popular pelo retorno do estado de direito.

O ponto negativo foi novamente a atitude do policiamento, que apreendeu várias faixas da Raça Rubronegra na entrada da Arena, seguindo o clima de arbitrariedade vigente no Estado de São Paulo.

Apesar do resultado ter sido amplamente desfavorável ao clube carioca, a vitória foi do povo. O governo interino, bombardeado por notícias de corrupção no PMDB e PSDB, abalado por pesquisas negativas e refém de Eduardo Cunha, sofre escrachos diários nas redes sociais; há ocupações crescentes em órgãos públicos; e atos semelhantes aos do último domingo, na Arena Corinthians, espalham-se por várias arenas do País.

Em pouquíssimos meses, Temer levou o Brasil à beira de um colapso. Hoje ele recebe apoio apenas da mídia golpista, de parte do judiciário, dos aliados corruptos investigados na Lava Jato e de grupos extremistas de direita, formado por racistas, homofóbicos e defensores da cultura do estupro.

A população brasileira já percebeu que a única saída para a democracia é unir-se num só grito: "Volta Dilma!

1 comentários:

Ralph Panzutti disse...

Volta Dilma. Eleições . Reforma política. Radicalização da democracia. Punição para os funcionários públicos que prevaricação e cometeram outras arbitrariedades na função.