quarta-feira, 3 de agosto de 2016

Ideologia, eu quero uma pra viver

Por Tico Santa Cruz, no jornal Brasil de Fato:

Hoje, muito se fala em esquerda e direita. O brasileiro em geral nunca se interessou por política partidária, muito menos por questões ideológicas. Elas estavam restritas aos movimentos estudantis, movimentos populares, sindicatos e outras poucas representações coletivas que atuavam em comunidades variadas.

No entanto, o tema agora virou assunto de mesa de bar, de churrasco de família, até de corredores de academia de ginástica. Quem diria…

Nas redes sociais, movimentos variados se organizaram em páginas de "direita" e de "esquerda", trazendo para um tema profundo e complexo abordagens superficiais. Uma quantidade gigantesca de brasileiros vai se municiando de informações e conhecimentos através de memes, que são resumos dos resumos dos resumos, e isso acaba gerando uma grande confusão.

Tem gente que acha que é de direita porque não gosta do PT. Desconhece qualquer conceito, corrente política, interesses, propostas e referências.

É gente que repete apenas mantras que leu nas redes sociais: "quero Estado mínimo", "direitos humanos só serve pra defender bandido", "querem transformar o Brasil na Venezuela" e outras bobagens.

Se você pesquisar cada tópico dessas afirmações, cairá num abismo absurdo de falta de conhecimento.

A política não é preto e branco, mas sim uma aquarela devárias tonalidades. Não entender isso faz com que o comportamento médio se torne uma arma contra os próprios brasileiros. Então cuidado, você pode estar jogando contra o próprio time e fazendo um gol contra.

1 comentários:

Maria X disse...



Até Marta disse que Dilma estaria transformando o Brasil em "bolivarismo". Pode?