sexta-feira, 16 de setembro de 2016

Brasil ingressa em sua Idade Média

Por Wanderley Guilherme dos Santos, no blog Segunda Opinião:

O Brasil desencaixou. Desencaixou e passou a rodar no fuso paraguaio. Lá, como se sabe, depois de peculiar processo, o presidente Fernando Lugo foi impedido, assumindo o vice-presidente. Também não amputaram a Lugo os direitos políticos. Dizem os golpistas de lá, como os daqui, que o processo de impedimento seguiu os trâmites legais, que não houve atentado à Constituição nem violência física. Aqui, como também se sabe, os golpistas mantiveram os ritos, não promoveram violência (as pancadarias de antes e de depois do golpe não contam, claro) e garantiram direitos políticos à presidente impedida.

Dizia o Carlos Marx que a história só se repete como farsa; bela frase, mas um erro rotundo. A Segunda Guerra Mundial reencenou tragicamente a Primeira, as duas resultando da estúpida competição por mercados entre imperialismos expansionistas. A guerra do Vietnã é a da Coréia, só que com inovação tecnológica: a bomba de napalm, despejada sobre populações civis. O golpe brasileiro de 2016 não reprisa 1964, mas o paraguaio de 2002, em sua mais pura essência política: uma condenação sem provas, os legisladores maculando o mandato que detinham; uma concessão de direitos políticos que não possuíam autoridade constitucional para outorgar. Garantir os direitos políticos de Dilma Rousseff é tanto indício de golpe de Estado quanto cassar seu mandato: o de reescrever a Constituição pela força tirânica de maioria institucional.
O país ingressa em sua Idade Média. Os conservadores dominam as instituições do Executivo, do Legislativo e do Judiciário com base em inegável maioria ocasional. Não é por isso, apenas, que são golpistas, mas pelo uso soberbo do poder. Assim como a Idade Média e o absolutismo só foram unânimes pela repressão, o conservadorismo hegemônico só se sustenta pela asfixia da divergência. Asfixia de que não está ausente a chantagem da vida privada de alguns, como bem a conhecem ilustres membros do Judiciário e do Legislativo, e violência nas ruas, com a brutalidade que for necessária.
Só entregarão o poder por via democrática se, multiplicando fogueiras, não puderem evitá-lo.

2 comentários:

Anônimo disse...

Não, estamos na 'era de Cristo'! Tem um louco se comparando a Jesus!

Cícero disse...

Brilhante texto! Mas é certo também que toda essa súcia de canalhas golpistas ruma para um destino inglório. Optaram por legar às gerações futuras uma das páginas mais sujas e tristes da nossa história.

Está TUDO AQUI REGISTRADO nas páginas da internet. As crônicas diárias de valentes blogueiros progressistas e os nossos comentários postados em blogs e sites são um testemunho indelével do momento político que vivemos e, certamente, por meio desse registro histórico que hoje consignamos na internet, saberão as gerações futuras que neste ano de 2016, forças políticas derrotadas nas eleições de 2014, mancomunadas com a Mídia fascista e em conluio com setores da Justiça, por meio de uma trama sórdida e brutal, conseguiram, à força, arrancar do Poder uma presidenta honesta, eleita legitimamente pela maioria dos votos dos cidadãos, numa eleição limpa e democrática.