quinta-feira, 29 de setembro de 2016

Marta e a ‘agenda maldita’ de Temer. Que dó!

Por Altamiro Borges

A senadora Marta Suplicy, recém-filiada ao PMDB do golpista Michel Temer e do correntista suíço Eduardo Cunha, parece que está colhendo os amargos frutos do seu oportunismo eleitoral e da sua inconsistência política. Segundo todas as pesquisas de opinião, ela despencou na disputa pela prefeitura de São Paulo e pode até ficar em quarto lugar na eleição deste domingo (2). Diante da eminente tragédia, a traíra aparentemente caiu no desespero e já tenta justificar o seu fiasco, segundo uma nota publicada na coluna Painel da Folha desta quarta-feira (28):

“A campanha de Marta Suplicy culpa a ‘agenda maldita’ do Planalto, aliada à exploração da relação da candidata com o presidente Michel Temer, por sua queda nas pesquisas. ‘É todo dia uma manchete ruim’, diz um general do staff da senadora”. A notinha do jornal serrista ainda apimenta a cizânia: “Bateu, levou – A recíproca é verdadeira: ministros do PMDB já vislumbram o desgaste para o Planalto caso Marta Suplicy chegue ao fim do primeiro turno atrás de Fernando Haddad”. Pelo jeito, o convívio no covil golpista não será nada tranquilo após a votação deste domingo!

Marta Suplicy deixou o PT após mais de 30 anos de filiação à sigla e depois de galgar vários cargos públicos com o apoio, inclusive logístico, da legenda – foi prefeita da capital, senadora e ministra nos governos petistas. Para a felicidade da mídia venal e do seu dispositivo partidário, ela saiu atirando contra a sua antiga sigla, acusando-a de ser uma “organização corrupta”. Nos seus artigos semanais na Folha tucana e nos seus pronunciamentos no Senado, ela fez questão de se posicionar como uma líder do golpe do impeachment contra a presidenta Dilma.

No seu oportunismo, ela ingressou no PMDB pelas mãos do “ético” Michel Temer. A festança da sua filiação teve a presença de Eduardo Cunha, outra expressão da moralidade na política. A filiação à legenda dos golpistas lhe garantiu bom tempo no horário eleitoral de rádio e televisão e fartos recursos financeiros para a campanha. Também lhe propiciou a complacência da mídia chapa-branca, que até arquivou o velho rótulo de “Martaxa” e outras acusações levianas. Nada disso, porém, foi suficiente para enganar o eleitor paulistano.

Segundo as mais recentes pesquisas, Marta Suplicy não atraiu a simpatia dos bairros “chiques” da asquerosa elite, que ainda a considera uma “petralha”, nem dos moradores das regiões periféricas da capital paulista, que a consideram uma traidora. A “agenda maldita” do Judas Michel Temer – com suas regressivas reformas da Previdência e das Leis Trabalhista e o corte de investimentos em programa sociais – afastou ainda mais os eleitores de São Paulo. Pelo jeito, Marta Suplicy pagará caro pela negação da sua trajetória política. Que dó!

*****

Leia também:

1 comentários:

BRASIL ESPÉRANÇA edson tadeu disse...

nem o PMDB nem o PSDB confiam ou querem Marta na Prefeitura,eles sao contra mulhres na prefeitura,camara,governo senador ou Presidencia. isso é fato consumado, O que eles vao fazer com Marta? Marta será a escada para Joao Doria ou Russomano alcançar a Prefeitura. porque eles sabem que é IMPOSSIVEL Marta bater Haddad. mesmo porque ela é uma traídora. e o povo nao perdoa traídores. Ela nao terá o mesmo fim que Campos que perdeu a vida para fazer primeiro Marina subir nas pesquisas deppois ser descartada por manobras dos seus proprio amigos que a apoiavam na traíra. e que por fim os votos dela foram para Aecio. Tudo por boatos que eles mesmo trataram de difundir na midia para derrubar Marina.Marta nao terá futuro no PMDB. pode escrever isso.