terça-feira, 24 de janeiro de 2017

Doria em SP: por uma cidade cinza

Por Thedy Corrêa, no site Jornalistas Livres:

Como dói, Dória
Ver essa parede cinza
Onde antes havia alegria
Como dói, Dória
Lembrar da beleza
Do que antes havia
Como dói, Dória
Pensar que se fosse o Guernica
Você também o apagaria
Pois a sua noção de beleza
Jamais o entenderia

Como dói, Dória
Pensar que você
prefere um dia cinza
Que se pudesse
Você apagaria o sol
O céu azul
E o arco-íris
Que lhe desafia
Como dói, Dória
Pensar no tempo de vida
Que alguém usou
para pintar Aquela parede
agora cinza
E que pra você
Esse tempo e essa vida
Nada significa
Como dói, Dória
Imaginar quanto Mais de beleza
Você não enxerga em São Paulo
Como dói, Dória
Pensar em tudo
que você ainda vai apagar
Deixando a cidade ainda mais cinza
Como o ar poluído
Como as águas sofridas
Como o medo nas ruas
Como dói, Dória
Pensar que todo esse cinza
Está dentro de você

* Thedy Corrêa é escritor.

2 comentários:

Anônimo disse...

Parabéns ao autor e pêsames à cidade que escolheu um energúmeno como prefeito.

Christiano Pereira disse...

Nada mais atual, Caetano Veloso, com sua "SAMPA", onde diz: " ... Chamei de mau gosto o que vi, de mau gosto, mau gosto
É que Narciso acha feio o que não é espelho ... "
Dória, há décadas Caetano Veloso já te 'elegia'!