sábado, 21 de janeiro de 2017

O mistério que Teori deixou sem resposta

Por Paulo Nogueira, no blog Diário do Centro do Mundo:

De Teori Zavascki, indicado por Dilma em 2012, esperava-se que reforçasse as ideias progressistas no STF.

Isso acabou não acontecendo. Teori se tornaria sob esta ótica uma decepção, mais uma das más escolhas de Dilma (e Lula) para o Supremo.

Compare. Nos Estados Unidos, o presidente Roosevelt só conseguiu colocar em prática seu New Deal quando, com as trocas que pôde fazer, dotou a Suprema Corte de juízes afinados com seu ideário igualitário, na década de 1930.

Esta grande lição de Roosevelt - montar um Supremo alinhado com a presidência - foi ignorada por Lula e por Dilma, com as conhecidas consequências.

Teori, se tinha algo de progressista em sua índole, escondeu muito bem. Alguns o classificavam como discreto e reservado. Na verdade, ele sempre pareceu mais acuado e intimidado do que qualquer outra coisa.

Mais que tudo, ele deixa sem resposta a explicação para sua decisão sua mais importante no STF.

Por que demorou tanto para afastar Eduardo Cunha do comando da Câmara?

Ele era responsável pelo caso Cunha, e já tinha em mãos fazia meses os documentos que levariam o presidente da Câmara à cadeia.

Mas Teori se movimentou apenas depois que o impeachment já se consumara.

Por que tamanha espera?

Eis a pergunta de importância histórica gigantesca que Teori deixou, para sempre, sem resposta.

1 comentários:

Cade te disse...

Bom...Não sendo leviano mas digamos exercendo o advogado do diabo: ele namorava dondoca que compartilhava postagens do mbl,e trabalha em joalheria envolvida em corrupção no estado do Rio;mantinha uma amizade com um milionário às voltas com justiça,e que era parceiro de negócios do Tal de Esteves que foi solto pelo Teori. Sentiram o drama?