quinta-feira, 18 de maio de 2017

Temer não renuncia; ruas devem derrubá-lo!

Av. Paulista/São Paulo, 18/5/17
Foto: Eduardo Figueiredo/Mídia Ninja
Por Altamiro Borges

Em pronunciamento no final da tarde desta quinta-feira (18), o usurpador Michel Temer garantiu que não vai renunciar. O falsário jurou que é inocente e exigiu "investigações rápidas" sobre as delações "clandestinas" do executivo da JBS - que comprovam suas relações carnais com o presidiário Eduardo Cunha. A aparente valentia do Judas, porém, indica que o seu fim está próximo. O golpista não tem mais nenhuma condição de seguir no posto tomado de assalto por um golpe dos corruptos. Os ratos, inclusive, já começam a abandonar o barco à deriva. O sinistro da Cultura, Roberto Freire - o pulha oportunista do PPS - confirmou a sua saída do covil golpista. No Congresso Nacional, vários partidos da base aliada sinalizam que vão tentar salvar sua pele.

A grave crise institucional, que tende a se prolongar com a decisão de Michel Temer de não deixar o cargo usurpado, pode ter duas saídas. As forças que orquestraram o impeachment criminoso e ilegal de Dilma Rousseff, tendo a frente a golpista Rede Globo, já preparam uma saída por cima - um golpe dentro do golpe. Merval Pereira, Ricardo Noblat e outros mercenários globais afirmam que a única forma de superar a crise é a eleição indireta, pelo Congresso Nacional, de um presidente-tampão. Vários nomes já circulam na praça. A inexpressiva Cármen Lúcia, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), é uma das mais citadas. Os abutres financeiros insistem no nome do rentista Henrique Meirelles - que, vale lembrar, foi executivo da corrupta JBS. A ideia é rifar o moribundo Michel Temer e limpar o terreno para seguir aplicando as políticas ultraliberais dos golpistas.

Diante deste risco, a única saída que ajudaria o Brasil a enfrentar a grave crise institucional - que terá reflexos no maior agravamento da crise econômica - é a convocação imediata de eleições diretas. Se depender da elite - ou melhor, cloaca - burguesa, orientada pelo partido da Rede Globo, este caminho mais democrático será abortado. A única forma de viabilizar esta saída é a forte e ousada mobilização da sociedade, que deve tomar as ruas e praças de todo o país. As centrais sindicais, em nota conjunta, as frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo e outros movimentos sociais e organizações da sociedade civil já estão agendando inúmeros protestos para os próximos dias. Somente as ruas podem impor a queda do Judas Michel Temer, a prisão dos falsos moralistas - como Aécio Neves - e a convocação das eleições diretas. Do contrário, o Brasil vai afundar de vez no caos!

*****

Leia também:

Temer deve cair e Aécio tem que ser preso

Evitar dois golpes! Como? Nas ruas!

Globo golpista é humilhada ao vivo

Fora Temer! Diretas já!

Ocupar as ruas para exigir #DiretasJá

Temer deve renunciar. Brasil quer diretas-já

Globo derruba mais um presidente

Congresso sem moral para eleger presidente

Fim do governo Temer e a volta das diretas

Diretas já ou desobediência civil

Renúncia seria gesto bom demais para Temer

O que acontece se Michel Temer cair?

1 comentários:

Vinicius Zanetti disse...

Ele cai não tenho dúvida disto, afinal, qualsetor da direita vai querer manter um zumbi? Quem, além do grupo que tudo perde com sua saída vai comprar esta briga? Já tem rato fugindo do barco, e muitos mais vão sair...