sexta-feira, 12 de abril de 2024

O bandidão amigo do covardão

Por Moisés Mendes, em seu blog:

As respostas aos ataques do fascismo parecem estar sempre aquém do tom que o caso requer. Lula disse o seguinte sobre o gângster Elon Musk:

“Temos que escolher se queremos viver num regime democrático ou não queremos isso. Se vamos permitir que o mundo viva a xenofobia do extremismo de extrema direita, que se dá ao luxo de permitir que um empresário americano, que nunca produziu um pé de capim nesse país, ouse falar mal da Corte brasileira e do povo brasileiro”.

O que ficou disso tudo na imprensa, como resumo, foi que Lula acusou Musk de nunca ter produzido um pé de capim no Brasil. Quem acolhe essa declaração como a resposta que Musk merece?

A bola de cristal furada da Globo

Por Bepe Damasco, em seu blog:

Se você quiser saber a previsão de uma votação importante no Congresso Nacional, sugiro que aposte no resultado oposto ao projetado pelos repórteres e comentaristas da GloboNews.

A barriga da emissora no episódio da votação da manutenção ou não da prisão do deputado Brazão, um dos acusados de ser o mandante do assassinato da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson, foi constrangedora, coisa capaz de provocar vergonha alheia.

Depois de despachar praticamente todo seu time de jornalistas de política para Brasília, para cobrir a votação que decidiria o destino de Brazão, a GloboNews passou 48 horas a apregoar os seguintes consensos entre seus profissionais:

Muitas semelhanças, mas nenhuma coincidência

Por Jair de Souza

Exatamente no próximo dia 14 de abril, vai-se completar 22 anos de um dos episódios mais fascinantes da história da América Latina. Foi na citada data em 2002 que o povo da Venezuela proporcionou a toda a humanidade uma das lições mais inesquecíveis e grandiosas de todos os tempos.

Movido pelas saudosas lembranças, decidi rever o documentário A Revolução não será televisionada, produzido naquele momento por uma equipe de jornalistas irlandeses que se encontrava na Venezuela para realizar uma reportagem sobre a situação político-social sob o então recente governo bolivariano liderado por Hugo Chávez. Foi esta feliz casualidade do destino o que possibilitou que as pessoas certas estivessem no lugar certo e na hora certa para efetuar um inestimável trabalho de jornalismo investigativo.

A perseguição implacável a Julian Assange

A liberdade de expressão absoluta de Musk

Valdemar ferra Moro e contraria Bolsonaro

Chiquinho Brazão na cadeia cala bolsonaristas

Musk, Bolsonaro e o PL das fake news

China-Rússia: base do mundo multipolar

quinta-feira, 11 de abril de 2024

Chilique de Musk repercute na mídia mundial

Charge do site Civitai
Por Altamiro Borges


Levantamento feito pela rede britânica BBC mostra que o chilique do bilionário Elon Musk contra a soberania brasileira repercutiu com força na imprensa internacional. O dono do X, ex-Twitter, já não é bem visto em vários países da Europa, da Ásia e até nos EUA. O seu anúncio de que desrespeitará a Justiça do Brasil, que solicitou o bloqueio de perfis na plataforma que espalham fake news e estimulam o ódio fascista, não pegou bem em muitas nações, que atualmente discutem formas de regulação das poderosas e prepotentes big techs.

STF condena mais 14 patriotários pelo 08/01

Quaest: Lula cresce em estados bolsonaristas

O alinhamento de Lira, Musk e Bolsonaro

Charge: Adam/Gulf News
Por Jeferson Miola, em seu blog:

A guerra fascista aberta contra o STF e a democracia brasileira pode não ter sido combinada em todos seus detalhes, mas tem um alto nível de coordenação.

É notório o alinhamento estratégico das iniciativas de Bolsonaro, Elon Musk e Arthur Lira para a retomada da ofensiva política da extrema-direita brasileira em articulação com o fascismo internacional.

Em poucas semanas a conjuntura nacional deu várias cambalhotas.

A perspectiva de condenação e prisão do Bolsonaro e do núcleo central de lideranças fascistas – civis e militares – nunca esteve tão tangível como a partir do avanço do inquérito sobre as tentativas de golpe de Estado e de ruptura institucional.

Apesar disso, o bolsonarismo conseguiu sair da situação de defensividade política. A primeira e rápida reação para sair do canto do ringue político foi o ato de 25 de fevereiro na avenida Paulista, convocado “em defesa do nosso estado democrático de direito”, como Bolsonaro anunciou.

Ninguém se engane, estamos sob ataque

Charge: GG Marquez
Por Tereza Cruvinel, no site Brasil-247:

Elon Musk não está preocupado com a liberdade de expressão no Brasil nem com as contas dos usuários do X, cuja suspensão foi ordenada pelo ministro Alexandre de Morais. Por trás de seus ataques ao ministro e à própria soberania nacional, com ameaças de desobediência a uma ordem da Suprema Corte, estavam seus interesses econômicos e uma calculada ação da extrema direita internacional, com participação do bolsonarismo doméstico.

Na semana passada, antes ainda das postagens provocativas de Musk, a mega bolha global da extrema direita na Internet já vinha sendo excitada, a partir de fora, por publicações sobre uma suposta “ditadura” instalada no Brasil, tendo como tiranos Morais e Lula.

O esquenta do 1º de Maio

Charge: Bira Dantas
Por João Guilherme Vargas Netto

Enquanto as direções responsáveis estão ocupadas no planejamento e preparação dos atos do dia 28 de abril em memória das vítimas de acidente do trabalho e das comemorações unitárias do 1º de Maio, todas as entidades devem organizar o esquenta para tanto.

Sugiro para o curso do mês de abril a realização de reuniões – presenciais e virtuais – dos dirigentes e dos ativistas, sob os mais variados pretextos, com discussões de temas que, ao mesmo tempo unificadores, tenham a preocupação de abordar assuntos de interesse corrente do movimento sindical.

Seria a ocasião, por exemplo, de uma informação abrangente por um economista qualificado sobre a conjuntura econômica e as perspectivas futuras, uma informação pertinente e mobilizadora sobre o combate às mortes e acidentes do trabalho, uma informação atualizada sobre a correlação de forças no Congresso Nacional e uma informação precisa sobre as últimas posições jurídicas a respeito do mundo do trabalho.

A reforma agrária na literatura de cordel

A guerra de Musk contra o Brasil

Os contratos no Brasil com Starlink de Musk

O Brasil à deriva no capitalismo nascente

México rompe relações com o Equador

terça-feira, 9 de abril de 2024

STF condena mais 14 patriotários pelo 08/01

Por Altamiro Borges


Nesta segunda-feira (8), o Supremo Tribunal Federal (STF) condenou mais 14 patriotários pelos atos golpistas de 8 de janeiro de 2023, quando as sedes dos Três Poderes foram invadidas e depredadas em Brasília. As penas pelos delitos de associação criminosa armada, abolição violenta do Estado Democrático de Direito, tentativa de golpe de Estado, dano qualificado e deterioração de patrimônio tombado foram fixadas em 14 anos de prisão para nove pessoas, em 17 anos para quatro e em 13 anos e seis meses para um dos condenados.

Filhote 06 de Bolsonaro será cassado em SC?

Por Altamiro Borges


Na semana passada, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) suspendeu o julgamento que pode resultar na cassação do mandato do senador Jorge Seif (PL-SC) – chamado de “filhote 06” de Jair Bolsonaro devido às suas relações íntimas com o ex-presidente fujão. Segundo a Agência Brasil, “a sessão foi suspensa sem a apresentação dos votos. O Ministério Público Eleitoral se manifestou pela cassação da chapa e a realização de novas eleições”. A retomada do julgamento está marcada para 16 de abril e ainda é imprevisível o seu desfecho.

Histeria de Musk afronta soberania nacional

Charge: Osama Hajjaj/Cartoon Movement
Por Altamiro Borges


Consumidor de drogas pesadas – em janeiro último o diário ianque The Wall Street Journal revelou que ele usa “LSD, cocaína, ecstasy e cogumelos psicodélicos” –, o bilionário Elon Musk deve ter ingerido algo estragado nos últimos dias. O dono da rede social X, ex-Twitter, está histérico, babando pelos cantos e obrando babaquices. Após pedir a deposição de Alexandre de Moraes, ele agora elevou ainda mais o tom e chamou o ministro do STF de “ditador brutal”, acusando-o de ter “tirado Lula da prisão” e de manter o atual presidente na “coleira”.

segunda-feira, 8 de abril de 2024

Fundador da confederação de tiro é alvo da PF

Charge: Maíra Colares
Por Altamiro Borges


Na quinta-feira passada (4), o fundador da Confederação de Tiro e Caça do Brasil (CTCB), Fernando Humberto Henrique Fernandes, foi alvo de uma operação da Polícia Federal. Ele é suspeito de intermediar uma quadrilha que trafica armas de fogo entre o Brasil e os EUA. Segundo matéria do Estadão, “ao todo foram realizados seis mandados de busca e apreensão na capital carioca e nas cidades de Curitiba e Maringá”. Há indícios ainda de que “o grupo fazia comércio clandestino de materiais bélicos a facções criminosas e milícias do Rio de Janeiro”.

Receita investiga influenciadores digitais

Moraes X Musk. Quem ganha essa guerra?

Twitter vai fechar? Anatel está de prontidão

Moro é chamado de "ladrão de galinhas"

Musk não está brincando: Ele quer golpe!

Musk, Moraes e a liberdade de expressão

José de Abreu derrota o lavajatista Sabino

José de Abreu/Twitter
Por Altamiro Borges


O jornalista Mario Sabino, ex-editor do decadente site Antagonista e ex-jagunço do moribundo Sergio Moro, sofreu uma sentida derrota na Justiça de São Paulo. Ele teve rejeitada uma ação de R$ 100 mil que movia contra o ator José de Abreu, que o chamou de “canalha” e “destruidor de reputações” em suas redes sociais. O direitista já anunciou que irá recorrer da sentença, mas sentiu o baque.

Em sua decisão, o juiz Fernando Antonio Tasso, da 15ª Vara Cível do Tribunal de Justiça de São Paulo, argumentou que os dois já “travaram diversas trocas de ofensas” na internet e em jornais e, portanto, o pedido indenizatório não se justificaria. O magistrado ainda condenou Mario Sabino a pagar as despesas processuais e os honorários advocatícios, que foram fixados por ele em 10% do valor da causa.

domingo, 7 de abril de 2024

Receita investiga influenciadores ostentação

Imagem do site PicMix
Por Altamiro Borges


Na terra sem lei da internet, onde qualquer regulação é tratada cinicamente como atentado à liberdade de expressão, tem muita gente fazendo fortuna por meio de ações criminosas. Para combater esses crimes, a Receita Federal decidiu investigar influenciadores digitais que ostentam carrões, mansões e outros objetos de luxo em suas redes sociais. O principal objetivo é coibir a sonegação fiscal, mas os auditores também já descobriram delitos mais graves, como lavagem de dinheiro para bicheiros, traficantes e milicianos.

Jornalistas barram trumpista em TV dos EUA

Foto: Divulgação
Por Altamiro Borges

A eleição indireta para presidente da República nos Estados Unidos – que alguns ainda bajulam como a pátria da democracia ocidental – será uma das mais sujas e violentas da história recente. Marcada para 5 de novembro, ela já desperta fortes tensões. O temor não é apenas com o esgoto digital trumpista, famoso por difundir fakes news e deepfakes. Há receio também com as baixarias na mídia tradicional, nos jornalões e emissoras de rádio e tevê. O clima já é de guerra nas redações.

No final de março, a poderosa NBC Universal, dona dos canais NBC e MSNBC, informou que desistiu da contratação da comentarista Ronna McDaniel, ex-dirigente do Partido Republicano de Donald Trump. A decisão só ocorreu devido a uma estridente rebelião nas redações. Em um comunicado, o presidente da rede, Cesar Conde, classificou como legítima a pressão e pediu desculpas aos funcionários que se sentiram decepcionados com a contratação. “Nenhuma organização, particularmente uma Redação, pode ser bem-sucedida a não ser que seja coesa e alinhada”, afirmou, justificando o recuo da NBC Universal.

Governador do Mato Grosso persegue jornalistas

Charge do site 123RF
Por Altamiro Borges


A deputada Daiana Santos (PCdoB-RS), presidenta da Comissão de Direitos Humanos da Câmara Federal, pediu na semana passada informações ao ministro da Justiça, Ricardo Lewandowski, sobre as providências já tomadas diante dos ataques sofridos por jornalistas do Mato Grosso, que têm sido alvos constantes de uma “polícia paralela” do governador bolsonarista Mauro Mendes (União Brasil). A mesma solicitação foi encaminhada ao Ministério Público Federal.

Diante das graves denúncias sobre ameaças aos profissionais de imprensa mato-grossenses, o Ministério da Justiça criou em 2023 um grupo de trabalho para acompanhar as investigações e também o desenrolar das ações no Supremo Tribunal Federal (STF). Ele conta com a participação da Secretaria de Comunicação do governo federal, da Secretaria Nacional de Justiça, da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), do Instituto Vladimir Herzog e da Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji).

A segurança pública e a comunicação

Foto: Polícia Federal
Por Bepe Damasco, em seu blog:

Imagina o provável saldo de mortos e feridos, se a operação de recaptura dos fugitivos do presídio de segurança máxima de Mossoró fosse conduzida pela PM de Tarcísio de Freitas?

E se Bolsonaro fosse reeleito? Alguém duvida que as investigações sobre o assassinato de Marielle e Anderson seriam definitivamente atiradas na lata do lixo, depois de sabotadas durante os quatro anos de mandato do capitão fascista?

O governo federal marcou dois golaços em uma área sensível, como a segurança pública, que lidera o ranking de preocupação dos brasileiros, conforme atestam todas as pesquisas.

Mas, atenção para o dito popular de que "não basta pôr o ovo, é preciso cacarejar."

Aí que mora o perigo. Será a comunicação do governo capaz de capitalizar os dois episódios exitosos junto à população?

Limitar o poder das big techs!

Charge: Jorge Braga
Por Paulo Kliass, no site Vermelho:


Muito tem sido escrito a respeito do enorme poder que vem sendo conquistado pelas chamadas “big techs” no mundo globalizado. Estas grandes corporações do universo que tangencia os espaços das comunicações, da informação e da tecnologia digital de ponta revelam a faceta concentradora e oligopolista do capitalismo contemporâneo. Enfim, ainda que esta tendência seja uma característica intrínseca a esse modo de produção desde sempre, o fato é que a realidade da internacionalização e da financeirização do mesmo aponta perigosamente para os riscos que tal processo inédito de concentração de capital, de poder político e de mercado coloca para a maioria da população do planeta.

A pior podridão bolsonarista é civil

Charge: Cau Gomez
Por Moisés Mendes, em seu blog:

O que 99% dos acusados de produzir violência, qualquer tipo de violência, têm em comum: são bolsonaristas assumidos ou têm índole bolsonarista.

São da base do fascismo, não necessariamente como ativistas de extrema direita. Mas como participantes, às vezes silenciosos, de uma estrutura social que sustenta um terço do eleitorado de direita.

São todos bolsonaristas os políticos que incitam violência contra pobres e negros, sob o pretexto de que combatem bandidos, como faz o governador Tarcísio de Freitas com a matança do tô nem aí na Baixada Santista.

São bolsonaristas os agressores de mulheres, os donos de pitbulls que atacam escritoras na praia, os donos de Porsche que dirigem a 160 por hora e matam motorista de aplicativo.

Estado Islâmico x Estado de Israel

Por Jair de Souza

Queria dar início a este singelo texto trazendo de volta à memória excertos dos pensamentos de dois grandes filósofos contemporâneos que, pelo prestimoso papel que prestaram a certos setores sociais são por estes muito reverenciados. Em razão da grandiosidade de suas figuras e por serem muito conhecidos e amados nos círculos já referidos, não será preciso explicitar seus nomes, os quais, de todos modos, serão imediatamente reconhecidos.

O primeiro desses pensadores, por ter se consagrado como um ilibado e justo perseguidor da verdade e da justiça, ao justificar suas ações visando aplicar merecida condenação a um certo vilão, exibiu um PowerPoint e proferiu uma sentença que dizia mais ou menos o seguinte: “Não disponho de provas para corroborar a justeza da condenação dessa pessoa, mas tenho convicção mais do que suficiente para garantir sua validade”. E, como deveria ter sido, suas convicções foram plenamente aceitas, pelo menos no seio da grande mídia corporativa de nosso país.

O outro grandioso filósofo a quem vamos recorrer era um sábio, grande conhecedor das leis e, mais ainda, um certeiro aplicador da justiça. E, certa vez, ao saber que o nome de um conhecido figurão tinha sido detectado em coisas não muito lícitas, não vacilou em fazer uso de toda sua sapiência jurídica e externar o seguinte pensamento: “Em razão de que a tal pessoa flagrada em atividades condenáveis é, na verdade, um potencial aliado para nossas causas, não convém que melindremos com a mesma”.

sábado, 6 de abril de 2024

Globo é condenada por impor padrão de beleza

Ilustração: Patricio Betteo
Por Altamiro Borges


O jornalista Daniel Castro destaca no site de entretenimento Notícias da TV que a “Globo é condenada por misoginia ao impor ‘padrão de beleza’ e discriminar repórter”. A decisão da Justiça é inédita e a empresa terá que indenizar a repórter Veruska Donato “por impor uma ‘ditadura da magreza’ que a deixou doente. É a primeira vez que a emissora é punida por estabelecer um ‘padrão Globo de beleza’, interpretado pela Justiça como prática misógina”, descreve a reportagem.

O império global também foi condenado a reconhecer uma série de direitos trabalhistas e poderá ter que desembolsar ao menos R$ 3,5 milhões. “Veruska Donato deixou a Globo em novembro de 2021, após ficar 77 dias afastada com síndrome de burnout (estresse e esgotamento físico devido a trabalho desgastante). Em janeiro do ano passado, ela entrou com uma ação trabalhista acusando a emissora de misoginia (ódio às mulheres) e etarismo (preconceito por idade”.

Mídia deve autocrítica sobre a Lava-Jato

Eleição na Venezuela e posição do Itamaraty

Braga Netto inventa desculpa esfarrapada

Crise na Petrobras? Prates deixará o cargo?

Marielle e o Rio paralelo do clã Brazão

sexta-feira, 5 de abril de 2024

Indignação vazia sobre o genocídio em Gaza

Charge: Peter Schrank/Political Cartoon
Por Marcelo Zero, no site Brasil-247:


O governo de extrema-direita de Netanyahu ultrapassou todos os limites. Limites morais, legais e políticos.

Não respeita nada e ninguém.

Tratados e convenções internacionais simplesmente não existem para ele. Resoluções da ONU, inclusive a última que obriga o cessar-fogo em Gaza, são solenemente ignoradas. Ignoradas há décadas, frise-se.

Atacar hospitais, campos de refugiados, escolas etc. tornou-se a norma macabra do governo Netanyahu. Matar mulheres e crianças também. Cerca de 70% das vítimas fatais em Gaza fazem parte desse grupo de inocentes. Já morreram, até agora, mais de 32 mil pessoas em Gaza e há cerca de 15 mil desaparecidos, provavelmente gente morta embaixo das imensas ruínas.

Fome, sede, falta de energia, de comunicação, de assistência médica, de saneamento básico etc. é a situação dantesca imposta pelo governo Netanyahu aos palestinos de Gaza.

A presidência do Brasil no G20 e a mídia

O duplo discurso dos EUA em relação ao TikTok

Da Agência de Notícias Xinhua:

A recente aprovação pela Câmara dos Representantes dos Estados Unidos de um projeto de lei que visa forçar o TikTok a se separar de sua empresa controladora chinesa, a ByteDance, ou enfrentar uma proibição em todo o país, gerou uma forte controvérsia internacional. Analistas de vários países sul-americanos coincidiram em que a medida reflete uma postura intervencionista e iliberal do Congresso dos Estados Unidos, contrária às suas próprias narrativas de livre mercado e democracia.

As críticas se concentram na contradição entre as políticas econômicas promovidas pelos Estados Unidos para outros países e sua intervenção direta em questões tecnológicas e de segurança nacional, e questionam especialmente a ameaça que essa medida representa para a liberdade de expressão e o livre fluxo de informações na esfera digital, não apenas para a sociedade americana, mas para o mundo.

Lula e seus adversários

Foto: Ricardo Stuckert (PR)
Por Paulo Nogueira Batista Jr.

A situação do governo Lula, difícil desde o primeiro dia, parece ter sofrido alguma deterioração nos meses recentes. Não chega a ser surpreendente. Sempre há uma lua de mel e ela sempre acaba. Mais importante, a herança recebida dos governos anteriores é pesada, são muitas as dificuldades de recuperar a máquina pública e – ponto de quero tratar hoje – são poderosos os adversários políticos do governo.

Cheguei a pensar em intitular o artigo “Governo sitiado”, mas me pareceu pesado e sombrio demais. Aí pensei em amenizar colocando um ponto de interrogação, mas isso também não resolveu. Não cabe espalhar pessimismo e desânimo. Os adversários são poderosos, mas o governo Lula tem seus recursos e pode prevalecer.

Jornalista: panorama da profissão no Brasil

Otan: A máquina de guerra do imperialismo

quinta-feira, 4 de abril de 2024

STF rejeita poder moderador dos militares

Militar implora para Xandão. Nova delação?

Governo endurece contra devedor contumaz

Sergio Moro busca boia de salvação

Boicote à bestialidade israelense

Montagem: Al Jazeera
Por Jeferson Miola, em seu blog:

No dicionário Houaiss da língua portuguesa, bestial é descrito como o que é “relativo a besta (no sentido de ‘animal’)”; “que se distingue pela ferocidade, selvageria; desumano, sanguinolento, cruel”; “da natureza do bruto; grosseiro, boçal”; “em que falta espiritualidade”; “que é sórdido; imoral, baixo, devasso”; “que causa repulsa; horrível, repugnante”.

Está definitivamente demonstrado que as bestialidades de Israel não têm fim, não têm limites e que, apesar de todo o cenário dantesco que acompanhamos ao vivo pela TV e internet, o regime nazi-sionista continua contando até hoje com a cumplicidade criminosa dos EUA.

O ataque que matou sete trabalhadores humanitários da instituição de caridade World Central Kitchen em Gaza é mais um desses atos bestiais de Israel, que assassina uma criança palestina a cada 12 minutos, deixa outra aleijada a cada 2h e 30 minutos e condena à orfandade outras dezenas delas todo dia – muitas sem sequer um único familiar sobrevivente para cuidá-las.

A ação sindical e a "normalizAção"

Foto: Sapão/CUT
Por João Guilherme Vargas Netto


Almejar a normalização da vida nacional (que é o contrário de uma polarização continuada e renitente) não deve significar a aceitação de uma mesmice preguiçosa e indulgente.

Para a ação sindical a vida nacional normalizada não resolve, por si só, os problemas, mas facilita seu enfrentamento e sua solução.

Basta citar as negociações salariais em curso nas diferentes categorias e datas-bases que se beneficiam de uma conjuntura favorável e, dependendo da mobilização dos trabalhadores, conseguem resultados que interessam a todos ou à maioria.

A ação sindical prossegue, em suas várias formas (como resenha a cada semana a Rádio Peão Brasil), atacando os problemas correntes da vida dos trabalhadores e das trabalhadoras e apresentando a todos a orientação unitária das direções sindicais sem ser desorientada pelos aspectos mais perversos do negacionismo, da intransigência e da falsificação.

quarta-feira, 3 de abril de 2024

Big techs são alvo de investigação na Europa

TRE retoma julgamento que pode cassar Moro

Causas da queda da sindicalização no Brasil

Por Nivaldo Santana, no site Vermelho:


Sandro Pereira Silva e André Gambier Campos, técnicos de Planejamento da Diretoria de Estudos e Políticas do IPEA, realizaram um interessante estudo sobre a sindicalização no Brasil.

O texto divulgado em fevereiro deste ano e disponível no portal do IPEA trata da “Filiação sindical de trabalhadores no Brasil (2012-2022): indicadores, contexto institucional e fatores determinantes”.

O documento de 50 páginas mostra que não só no Brasil, mas também nos países mais industrializados, há uma tendência de diminuição no número de trabalhadores sindicalizados e, em consequência, diminuição do poder sindical.

Vários fatores explicam essa nova realidade do sindicalismo, mas os autores destacam que as mudanças no padrão de acumulação do capital e a ascensão do neoliberalismo estão na raiz da queda do número de trabalhadores sindicalizados.

A campanha difamatória contra a Venezuela

Foto: Reprodução
Nota de solidariedade ao povo da Venezuela:

Diante das polêmicas relacionadas ao processo eleitoral na Venezuela, gostaríamos de manifestar nossa opinião.

1- Desde que Hugo Chávez ganhou as eleições em 1998 até hoje, o governo dos Estados Unidos e seus interesses petrolíferos movem uma guerra sem fim contra o povo da Venezuela.

2- Os EUA decretaram boicote a venda de seu petróleo, sequestraram contas no exterior e roubaram recursos depositados em vários bancos. No último mês, sequestraram até um avião de carga da empresa estatal em Buenos Aires, auxiliado pelo governo Milei. Apesar de ser Boeing, alegou que tinha sido comprado do Irã. Levaram o avião para Miami e o desmontaram com o medo que algum tribunal internacional mandasse devolvê-lo.

3- Os EUA impuseram um presidente fantoche, o senhor Juan Guaidó, que praticou uma série de crimes, além de se apropriar de mais de 50 milhões de dólares, denunciado por seus comparsas. Hoje, ele vive nos EUA protegido pelas autoridades.

60 anos do Golpe: Justiça para Vladimir Herzog

Zambelli ataca Janja para defender Robinho

Avanços da investigação do golpismo em 2022

Golpe de 64 e o golpe contra Dilma Rousseff

terça-feira, 2 de abril de 2024

Por que Bolsonaro dormiu na embaixada?

Charge: Aroeira/247
Por Flávio Aguiar

Atualmente duas hipóteses cercam esta pergunta que não quer calar.

A defesa do ex-presidente Jair Bolsonaro alega que ele dormiu lá para “manter contato com autoridades daquele país”. Convenhamos que é uma alegação inverossímil. Para manter tais contatos ele nem precisaria ir à embaixada, quanto mais dormir nela por duas noites, em pleno carnaval. Bastaria telefonar, marcar um zoom, skype, ou algo parecido, mesmo que encriptado.

A outra hipótese, mais provável, diz que, com o passaporte apreendido, ele executou o que em xadrez se chama de um “roque preventivo”. Naqueles dias de incerteza, temendo ser preso, recolheu-se ao teto amigo, onde, em caso de necessidade, poderia pedir asilo político.

A atual catástrofe e seus responsáveis

Edifícios destruídos no campo de refugiados de Jabalia,
no norte de Gaza. Foto: Mahmoud Issa/Reuters
Por Jair de Souza

Devido às constantes cenas de horror que nos estão chegando da Palestina ocupada nos últimos meses, existe um risco real de que venhamos a perder nossa capacidade de nos sensibilizar diante do sofrimento humano.

Os crimes que as forças militares do sionista Estado de Israel estão cometendo são os mais estarrecedores de que se têm conhecimento desde o período em que o nazismo hitlerista comandava os rumos da Alemanha na quarta década do século passado. Em vista disto, não há nada mais natural e coerente do que ser induzido a fazer uma ilação direta entre o sionismo israelense e o nazismo hitlerista. É que, por mais diferenças que essas duas correntes políticas possam ter entre si, elas se assemelham muitíssimo em seus aspectos de maior notoriedade: a perversidade, a crueldade, a insensibilidade e o menosprezo por certos grupos humanos por elas considerados como inferiores.

segunda-feira, 1 de abril de 2024

STF rejeita poder moderador dos militares

Ilustração: Miguel Paiva/247
Por Altamiro Borges


Em um importante avanço democrático, o Supremo Tribunal Federal (STF) formou maioria nesta segunda-feira (1) contra o chamado “poder moderador” das Forças Armadas. Foi uma derrota do nefasto “partido militar”, tão acostumado a golpes contra a democracia – como no trágico 1º de abril de 1964 e na tentativa frustrada do 8 de janeiro de 2023. Dos onze ministros, seis já votaram contra os milicos: Luiz Fux (relator do processo), Luiz Roberto Barroso (presidente do STF), Flávio Dino, Edson Fachin, André Mendonça e Gilmar Mendes.

FAB tem contrato milionário com firma de Israel

Ilustração: Visual Art
Por Altamiro Borges


Enquanto prossegue o bárbaro genocídio em Gaza – até esse final de semana já tinham sido assassinados 32,5 mil palestinos, sendo quase 13 mil crianças, e havia outros 75 mil feridos –, o Brasil segue mantendo contratos milionários com empresas israelenses ligadas à área de segurança. Diante desse absurdo, a deputada Fernanda Melchionna (Psol-RS) apresentou requerimentos cobrando do Ministério da Defesa explicações sobre valores e serviços prestados por essas sinistras companhias sionistas para a Força Aérea Brasileira (FAB).

Malafaia volta a ameaçar o STF e segue livre

TRE do Paraná pode cassar mandato de Moro

O julgamento de Moro no TRE do Paraná

Bolsonaristas protegem os irmãos Brazão

Bolsonaro mais perto da prisão preventiva?

domingo, 31 de março de 2024

Big techs são alvo de investigação na Europa

Charge: Nasif Ahmed/Brasilian Report
Por Altamiro Borges


Para tentar inibir o descomunal poder econômico e político das chamadas big techs (gigantes da tecnologia), a União Europeia iniciou na semana passada uma ampla apuração sobre a Apple, a Alphabet (dona do Google e YouTube) e a Meta (dona do Facebook, WhatsApp e Instagram). Segundo o jornal britânico Financial Times, em artigo reproduzido na Folha, “as investigações se enquadram na Lei de Mercados Digitais, que visa combater a dominação dos chamados ‘guardiões digitais’ – as maiores plataformas online – e entrou em vigor em março”.

Moro e Dallagnol se afastam na véspera do facão

Charge: Schröder
Por Altamiro Borges


Na véspera do julgamento no Tribunal Regional Eleitoral do Paraná que pode ceifar o seu mandato de senador, o ex-juizeco e ex-ministro Sergio Moro não contará com o ombro amigo do ex-procurador e ex-deputado Deltan Dallagnol para chorar suas mágoas. O jornal O Globo, que no passado transformou os dois em heróis nacionais, publicou neste domingo (31) uma curiosa reportagem mostrando que a relação entre ambos está estremecida. O crônico oportunismo parece ser o motivo principal da separação. Sabe-se lá se existem outras tretas!

Malafaia volta a ameaçar o STF e segue livre

Charge: Hals
Por Altamiro Borges


Silas Malafaia, o mercador da fé, é todo metido a valentão. Ele adora provocar, lacrar e rosnar. Mas tudo indica que o “pastor” está mesmo é se borrando. A valentia esconde a covardia! Na semana passada, ele postou um vídeo cheio de ameaças. “Não tenho medo de ser preso. Nenhum. Eu tô preparado psicologicamente, emocionalmente, fisicamente. Ainda vou dizer mais uma pra vocês. Tem vídeo meu gravado na mão de algumas pessoas. Se me prenderem, amigo, a coisa vai ficar bonita ao contrário, sabe. Até isso eu tô preparado, sabe”.

Cúpula golpista da PM de DF ganha liberdade

Charge: Zé Dassilva
Por Altamiro Borges


Na quinta-feira (28), o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), concedeu liberdade provisória para ex-integrantes da cúpula da Polícia Militar do Distrito Federal acusados de omissão nos atos de terrorismo contra as sedes dos Três Poderes em 8 de janeiro de 2023. Os beneficiados são os coronéis Klepter Rosa Gonçalves, Fábio Augusto Vieira e Marcelo Casimiro Vasconcelos Rodrigues. A decisão deve ter alegrado os golpistas, que ainda contam com a total impunidade em suas ações criminosas.

sexta-feira, 29 de março de 2024

Justiça penhora doações da igreja de Valdemiro

Charge: Quinho
Por Altamiro Borges


O jornalista Rogério Gentile revela no site UOL que “a Justiça paulista determinou o bloqueio dos pagamentos feitos à Igreja Mundial do Poder de Deus realizados por meio de cartões eletrônicos. E também a penhora de valores que ela tenha a receber em razão da monetização do perfil ‘Apóstolo Valdemiro Oficial’ no Youtube, que tem 862 mil inscritos e dispõe de mais de mil vídeos. A decisão foi tomada em um processo no qual a igreja, fundada em 1998 pelo apóstolo Valdemiro Santiago, é cobrada por uma dívida em honorários com um escritório de advocacia calculada em cerca de R$ 12,6 milhões”.

Prisões não encerram o caso Marielle

Ilustração: Ronaldo Fraga/Mídia Ninja
Por Bepe Damasco, em seu blog:


Passados alguns dias da prisão dos acusados de serem os mandantes do duplo assassinato brutal e covarde de Marielle e Anderson, dá para perceber uma certa frustração por parte de pessoas do campo progressista pelo fato de o clã Bolsonaro não ter sido alcançado, pelo menos diretamente, pelas investigações.

E a ida do sicário Ronnie Lessa ao condomínio em que mora Jair Bolsonaro logo depois do crime, algo confirmado pelo porteiro, que sumiu depois de indiciado por Sérgio Moro? E o que leva um bandidaço como Lessa ser vizinho do então presidente da República? E a notória ligação entre os Bolsonaro e as milícias do estado, que inclui condecorações ao chefe do escritório do crime e emprego para seus familiares? E o boicote explícito do governo Bolsonaro às investigações sobre o assassinato de Marielle?

Golpe militar impôs regime facínora no Brasil

Charge: Laerte/Memorial da Democracia
Por José Reinaldo Carvalho, no site Brasil-247:

A ferida que a ditadura militar, instaurada por um golpe de Estado há 60 anos, abriu no organismo nacional, malgrado o tempo transcorrido, ainda não cicatrizou. A ditadura militar provocou danos duradouros e indeléveis na vida nacional, que não se apagam com discursos, decretos nem perorações negacionistas.

A ditadura militar foi um regime criminoso, facínora, comandado por facínoras, um regime que atentou gravemente contra a democracia, os direitos do povo e a soberania nacional. Um regime cujos métodos principais para o exercício do poder foram a violência, a mistificação e o engodo. O período de 21 anos em que durou aquele regime foi marcado por graves violações aos direitos humanos e às liberdades democráticas.

Os sócios do golpe nada recebem de Bolsonaro

Charge: Aroeira
Por Moisés Mendes, em seu blog:


Mauro Cid virou a esponja de todos as desgraceiras causadas pela tentativa de golpe. Nunca mais será promovido a general. Engordou 10 quilos. A mulher teve um celular apreendido pela Polícia Federal. Está de volta à prisão e tem problemas financeiros.

Colegas de farda estão fazendo vaquinhas para socorrê-lo. É nesse ponto, dos problemas financeiros, que se revela um dos dramas da turma pobre ou remediada do coronel, que acreditou em Bolsonaro e no golpe, viu o chefe fugir para os Estados Unidos e acompanha agora seu novo plano de fuga.

No áudio que divulgou com ataques à PF e a Moraes, Cid refere-se aos colegas de golpe que estão escapando e com a carreira militar preservada. E lembra que Bolsonaro ficou milionário com a arrecadação de R$ 17 milhões via PIX.

Na antessala do horror: lembranças do golpe

Charge: Jaguar/Memorial da Democracia
Por Roberto Amaral, em seu blog:

Desde 1961, com a derrota imposta pelo povo nas ruas ao golpe militar que intentara impedir a posse de Jango, vivíamos um processo histórico tenso. Hoje, com o distanciamento de tantos anos, diríamos que tenso, mas muito rico, atravessado que foi por uma realidade em construção, povoada por dúvidas e receios, muitos sonhos e muitas esperanças.

Com os termos de hoje, diria que vivíamos de forma aguda o teatro de uma grande polarização, a que nos persegue há 500 anos, entre a necessidade do avanço (então o pleito das reformas de base, ainda hoje por serem realizadas) e a resistência do status quo, nome de fantasia do atraso e da concentração de renda, de escandalosa injustiça. Acreditávamos, a esquerda de então, na revolução brasileira, vista como em processo, e nos considerávamos construtores de uma nova sociedade. A direita, por seu turno, a um tempo negava a ruptura e a conciliação, e direita e esquerda disputavam aliança com os militares, de um lado os “entreguistas”, de outro, o nosso campo, os legalistas, herdeiros do Marechal Lott.

O golpe de 64 continua nas escolas militares

Charge: Maringoni
Por Urariano Mota, no site Vermelho:

Talvez fosse melhor o título “O ensino da falsa história nas escolas militares”. Quero dizer: penso nos jovens dos Colégios Militares, nos rapazes e mocinhas ardorosas e ardorosos tendo que decorar algo como uma História vazia e violentadora, a que chamam História do Brasil – Império e República, de uma Coleção Marechal Trompowsky. Da Biblioteca do Exército. Mas não sejamos preconceituosos, ilustremos com o que os estudantes nas escolas militares são obrigados a aprender, como aqui, por exemplo:

quarta-feira, 27 de março de 2024

Jair Renan vira réu por lavagem de dinheiro

Charge: Nando Motta/247
Por Altamiro Borges


A revista Veja postou nesta quarta-feira (27) que o playboy Jair Renan Bolsonaro, o filhote 04 do ex-presidente fujão, acaba de virar réu na Justiça do Distrito Federal pelos crimes de lavagem de dinheiro, falsidade ideológica e uso de documentos falsos. “A 5ª Vara Criminal recebeu denúncia do Ministério Público do DF contra o filho de Jair Bolsonaro e outras cinco pessoas: Eduardo Alves dos Santos, Maciel de Carvalho Rodrigues Medeiros, Cleudivânia Medeiros Santos de Carvalho, Marcos Aurélio Rodrigues dos Santos e Rafael Jorge Vilela Dias”.

Bolsonaro ainda não explicou refúgio húngaro

Assange e a mordaça dos EUA

Lula traça plano para recuperar popularidade

Toc Toc Toc da PF já tem dia marcado

O plano de fuga via embaixada da Hungria

terça-feira, 26 de março de 2024

General Braga Netto será preso em breve?

Charge: Adnael
Por Altamiro Borges


A agência britânica de notícias Reuters publicou nesta segunda-feira (25) uma longa matéria que complica ainda mais a vida do general Walter Braga Netto, que foi ministro da Casa Civil e da Defesa do fascista Jair Bolsonaro e seu candidato à vice-presidência da República. Ela confirma que o milico foi um dos principais mentores da tentativa golpista de impedir a posse de Lula. Diante da nova denúncia, cresce a pressão pela sua imediata prisão e já há boatos de que ele será rifado inclusive pelo alto-comando do Exército, que tenta limpar a desgastada imagem das Forças Armadas.

A mídia burguesa e o golpe militar de 1964

Tomada do forte de Copacabana durante golpe
militar em 1964. Foto: Evandro Teixeira
Por Altamiro Borges


Segunda-feira, 1º de abril, marca os 60 anos do trágico golpe civil-militar de 1964. Na época, o imperialismo estadunidense, os latifundiários e parte da burguesia nativa derrubaram o governo democraticamente eleito de João Goulart. A chamada grande imprensa teve papel destacado nos preparativos do golpe. Na sequência, muitos jornais seguiram apoiando a ditadura, as suas torturas e assassinatos. Outros engoliram o seu próprio veneno, sofrendo censura e perseguições.

Neste triste momento da história brasileira, vale à pena registrar os editoriais dos jornais burgueses – que clamaram pelo golpe, aplaudiram a instalação da ditadura militar e elogiaram a sua violência contra os democratas. Ontem como hoje, a mídia privada continua orquestrando golpes contra a democracia. Daí a importância de relembrar sempre os seus editoriais da época:

Monark deve R$ 4 mi por apologia ao nazismo

Por que não uma revolução na saúde?

Foto: Ricardo Stuckert
Por Bepe Damasco, em seu blog:


Decididamente não vivemos uma conjuntura para amadores. Governar em um quadro desafiador como o atual é o x do problema para o PT, partidos aliados tradicionais, setores progressistas da sociedade e demais segmentos que fazem parte da frente ampla que apoia Lula.

Pelo menos dois terços do Congresso Nacional oscilam entre o centro conservador, a direita e a extrema-direita. Repetindo a linha adotada em governos petistas anteriores, a imprensa comercial, por sua vez, faz questão de não reconhecer nenhum mérito nas inúmeras realizações do governo Lula 3 e vive de inventar crises, amplificar problemas, distorcer declarações de Lula e apostar no jornalismo rebaixado da fofoca.

Somado a isso tudo, temos um neofascismo com forte presença nas redes sociais, com poder de mobilização e base social, política e eleitoral.

Marielle: prisão é vitória do governo Lula

Por Tereza Cruvinel, no site Brasil-247:


O desvendamento do assassinato de Marielle Franco e a prisão dos mandantes, no domingo, é uma vitória inconteste do governo Lula.

Nos primeiros dias de gestão, o presidente e o então ministro da Justiça, Flávio Dino, tomaram a decisão política de esclarecer o crime cuja impunidade, há cinco anos, depunha contra a efetividade da democracia brasileira.

A decisão tomada naquele janeiro conturbado pela tentativa de golpe, de federalizar parcialmente as investigações, permitiu que em pouco mais de um ano de trabalho sério, a Polícia Federal, ombreada com o Ministério Público estadual, conseguisse desmontar a trama do crime e de sua frustrada impunidade.

O esclarecimento é resultado do trabalho conjunto e independente das instituições de polícia e justiça contra o crime organizado mas não teria acontecido sem a decisão política do governo federal, em tudo oposta à do governo Bolsonaro, que nunca se empenhou no esclarecimento do crime. Muito pelo contrário.

Duas tarefas na Semana Santa

Charge: Bruno Galvão
Por João Guilherme Vargas Netto


Há duas tarefas a serem cumpridas pelo movimento sindical mesmo nestes dias feriados.

A primeira delas, incumbência de todo o movimento em suas bases de trabalhadores e trabalhadoras, é a de participar juntamente com toda a população e com o SUS da luta para enfrentar o grave surto da dengue.

Os sindicatos podem, em cada cidade e com conhecimento de causa, ajudar nas ações de limpeza e prevenção dos criadouros do mosquito, nas medidas visando a vacinação e até mesmo oferecendo suas instalações e sedes como locais de exames, de testes e de tratamento dos sintomas da doença.

"Farsang" na Embaixada da Hungria

Charge: Schröder
Por Marcelo Zero

Bolsonaro passou parte do Carnaval na embaixada da Hungria. Duas noites, mais precisamente.

Normal, não é?

Muita gente faz isso. Em vez de ir para o Nordeste ou para o Rio, o sujeito se refugia em alguma embaixada, com medo do barulho e da confusão.

Além disso, em Budapeste, a bela capital da Hungria, há também carnaval. Chama-se “farsang”, e é mais tranquilo que o brasileiro.

Foi isso. Bolsonaro trocou o carnaval pela “farsang”. Quem há de culpá-lo?

Há outras hipóteses.

Mistérios que cercam atuação de Braga Netto

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Por Luís Nassif, no Jornal GGN:


No artigo “Aparece a penúltima peça do caso Marielle, falta a última“, apresentei a seguinte tese:

1- Marielle foi executada como maneira de desmoralizar a operação de Garantia de Lei e Ordem no Rio de Janeiro.

2- O receio dos executores é que a GLO fosse uma parceria entre o general Villas Boas, Michel Temer e o Supremo Tribunal Federal para uma eleição com Temer e sem Lula.

3- Posteriormente, Villas Boas promove a aproximação entre Braga Neto e Bolsonaro. Quando Bolsonaro assume, entrega a Braga Neto seu mais forte Ministério – o da Casa Civil.

4- Em troca, depois de ter anunciado ter chegado aos mandantes do crime, pouco mais de dois meses depois do assassinato, Braga Netto se cala.

segunda-feira, 25 de março de 2024

Monark deve R$ 4 mi por apologia ao nazismo

Charge: J.Bosco
Por Altamiro Borges


Na última quinta-feira (21), o Ministério Público de São Paulo apresentou à Justiça uma ação civil em que pede que o influenciador digital Bruno Monteiro Aiub, vulgo Monark, pague R$ 4 milhões em indenização por defender a criação de um partido nazista no Brasil. O promotor Reynaldo Mapelli Júnior foi incisivo no seu parecer, afirmando que está comprovada, “com sólida fundamentação técnica, a postura racista, o antissemitismo e o nazismo no comportamento do réu, bem como a necessidade de reprimenda”.

O promotor ainda avaliou que “a defesa da criação de um partido cuja ideologia é a própria antítese da construção histórica recente dos direitos humanos é incompatível com o texto constitucional do Brasil”. A ação pede que a indenização seja direcionada ao Fundo Estadual de Defesa dos Interesses Difusos, ligado à Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania.