quinta-feira, 18 de agosto de 2022

Evangélico terrível blinda Bolsonaro no STF

Muitos covardes continuam entrincheirados

Por Moisés Mendes, em seu blog:

Se medrosos e covardes de todas as áreas tivessem 10% da bravura de Alexandre de Moraes, o fascismo não teria avançado tanto no Brasil.

Com um pouco menos de covardia, que nem precisaria se transformar em valentia, os filhos de Bolsonaro não seriam os chefes do blefe do golpe.

As instituições brasileiras quase nada fizeram de efetivo para conter os filhos de Bolsonaro, que têm no Brasil uma força política equivalente apenas ao poder dos príncipes bandidos da Arábia Saudita. A família imobilizou as instituições.

Sob a ameaça do jipe com o cabo e o soldado, muita gente se acovardou, mais até do que o esperado.

A chave para a vitória de Lula é o Sudeste

Por Bepe Damasco, em seu blog:

Como tem folgada e consolidada maioria no Nordeste, segundo maior colégio eleitoral do país, a liderança de Lula também na região que concentra o maior número de eleitores, o Sudeste, é um fator decisivo para levá-lo à vitória, quem sabe no primeiro turno.

De acordo com a pesquisa Ipec, Lula bate Bolsonaro em São Paulo por 43% x 31% e em Minas Gerais por 39% a 26%. Também está na frente numericamente, mas em situação de empate técnico, no Rio, berço do bolsonarismo: 35% x 33%.

Embora os bolsonaristas Cláudio Castro, no Rio, e Zema (este procurando se descolar de Bolsonaro), em Minas, estejam fortes, especialmente o governador de Minas que tenta a reeleição, Lula conta no Sudeste com três candidatos competitivos: Haddad, líder das pesquisas, Freixo em segundo, mas empatado tecnicamente com Castro, e Kalil na vice-liderança.

Os limites das fake news religiosas

Por Fernando Brito, em seu blog:

Sim, é verdade que circula uma onda de boatos no meio evangélico de que o ex-presidente Lula, de volta ao governo, perseguiria ou até fecharia igrejas evangélicas.

E que esta mentira pode ser o que está por trás do suposto crescimento das intenções de voto de Jair Bolsonaro nesta parcela do eleitorado, embora isto, nas próprias pesquisas que o informam, sendo compensado pelo crescimento de Lula em outros recortes, resultando em estabilidade nos números finais.

Mas será que isso tem força para repor a Bolsonaro as esperanças que a falta de impacto, até este momento, do seu “pacote de bondades” de aumento de auxílios e instituição de “vales” a taxistas e a caminhoneiros?

Uma comemoração nobre

Por João Guilherme Vargas Netto

A feitura de listas é cometimento recorrente em todas as épocas e em todas as culturas da humanidade. Quando a lista não é exaustiva e antes que se torne canônica a principal dificuldade em seu estabelecimento é que sempre faltam itens contemplados e sobram os aspirantes.

O Centro de Memória Sindical, sob a inspiração da Carolina Maria Ruy e apoiado pelas seis centrais reconhecidas, conseguiu realizar a proeza de listar 200 nomes que contribuíram para a construção social do Brasil. Registrou também, com auxílio de uma equipe qualificada, 200 obras brasileiras de arte em todos os campos.

Ambas as listas, dos 200 nomes e das 200 obras, foram apresentadas ao público sindical em um evento no salão nobre da Câmara Municipal de São Paulo na segunda feira, dia 15, abrilhantado pelas execuções da Corporação Musical Operária da Lapa e exaltando os 200 anos da Independência (a coincidência dos números não é fortuita).

Bolsonaro estimula a intolerância religiosa

Por Priscila Lobregatte, no site Vermelho:

A intolerância religiosa é um prato cheio para quem busca conflagrar setores da sociedade e tirar vantagem desse tipo de divisão. É isso que tem feito Jair Bolsonaro (PL) em sua campanha. Além de investirem no ódio para atacar a democracia, suas instituições e a esquerda, o presidente e seus apoiadores buscam jogar principalmente o segmento evangélico contra Lula, favorito em todas as pesquisas eleitorais.

Gritos dos Yanomami que Bolsonaro ignorou

O Brasil segundo Augusto Aras

Marina, Janones e os bastidores da campanha

Ucrânia ameaça atacar usina nuclear

Delegado pede a prisão da cúpula da PF

Por Altamiro Borges

Numa ação inusitada, o delegado Bruno Calandrini, responsável pela investigação sobre o balcão de negócios no Ministério da Educação que levou à cadeia o pastor Milton Ribeiro, pediu nesta semana ao Supremo Tribunal Federal (STF) a prisão de integrantes da cúpula da Polícia Federal. O pedido está nas mãos da ministra Cármen Lúcia, encarregada do inquérito sobre a “santa” corrupção no MEC.

Segundo o site Metrópoles, “Calandrini alega ter havido interferência do alto comando da corporação nas apurações sobre o caso. É a primeira vez, na história recente, que um delegado pede a prisão da cúpula da PF. Pouco depois da prisão de Milton Ribeiro, Bruno Calandrini chegou a afirmar, em mensagem enviada a um grupo de policiais federais, que seus superiores estariam impondo obstáculos ao bom andamento da investigação. Ele escreveu que não tinha ‘autonomia investigativa para conduzir o inquérito deste caso com independência e segurança institucional’”.

quarta-feira, 17 de agosto de 2022

Após Janones, Pros anuncia apoio a Lula

Empresários bolsonaristas pregam golpe

Bolsonaro não aplaude discurso de Moraes

O futuro político da Igreja Universal

Reconstrução e transformação das cidades

Esquerda ocidental e a luta anti-imperialista

Bolsonaro pode chegar ao segundo turno

Evangélico terrível blinda Bolsonaro no STF

Charge: Thyagão
Por Altamiro Borges

Enquanto a primeira-dama Michelle Bolsonaro – carinhosamente apelidada de Micheque – ainda tenta espantar os “demônios” que dominam seu marido para seduzir o eleitorado religioso, o “evangélico terrível” André Mendonça, ministro do Supremo Tribunal Federal, faz de tudo para blindar o “capetão”.

Na semana passada, ele suspendeu o julgamento de 20 recursos que seriam analisados nos próximos dias pelo STF em inquéritos que têm como alvo o presidente e vários de seus milicianos, como os deputados federais Daniel Silveira (PTB-RJ) e Bia Kicis (PL-DF), e os empresários Otávio Fakhoury (PTB) e Luciano Hang.

Quem financiou o cartaz fascista no RS?

Cartaz em Porto Alegre
Por Altamiro Borges


Nesta terça-feira (16), o juiz eleitoral Márcio André Keppler Fraga, do Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Sul, abriu prazo de 24 horas para que a empresa Life Mídias Urbanas remova um cartaz gigante que associa as esquerdas ao crime organizado e convoca a população para os atos em apoio ao golpista Jair Bolsonaro (PL) no 7 de Setembro em Porto Alegre. A decisão atende a um pedido do Ministério Público encaminhado à 113ª Zona Eleitoral da cidade.

Segundo o site UOL, “o MP-RS informou que expediu o mandado de averiguação para que a empresa responsável pelos banners forneça cópia dos contratos, os nomes das pessoas que contrataram e as notas fiscais dos pagamentos dos serviços. O mandado foi cumprido na manhã de segunda-feira (15). ‘O MPRS recebeu as respostas aos questionamentos e os encaminhou à Justiça Eleitoral com pedido para a retirada dos materiais’, afirmou em nota”.