terça-feira, 14 de março de 2017

A lista dos fracassos do governo Doria

Por Pedro Breier, no blog Cafezinho:

A possibilidade de João Doria ser o candidato do PSDB à presidência em 2018 se torna mais real a cada dia.

O apoio irrestrito ao padrinho Geraldo Alckmin já deu lugar a frases como “nada é irreversível, irrevogável, imutável, exceto a morte”, proferida em entrevista a Kennedy Alencar quando questionado se era irrevogável a sua decisão de não concorrer em 2018.

A mídia chapa branca, comprada com gordas verbas de publicidade, espalha o mito do bom gestor, o que, somado ao domínio da linguagem da televisão que Doria possui e ao fato de ser um outsider da política, pode torná-lo o grande nome da direita para as próximas eleições presidenciais.

É dever dos que não querem um Trump tropical comandando o país, portanto, divulgar as péssimas decisões de Doria na prefeitura de SP e os desastrosos resultados provenientes delas.

Por isso inauguro, nesta coluna, a Lista atualizada de fracassos do governo João Doria. A ideia é listar os fiascos de Doria na prefeitura – produzidos em quantidade industrial em menos de 3 meses de mandato – e seguir atualizando. Sem mais delongas, vamos à lista:

1 – Aumento do limite de velocidade nas marginais. Conforme previsto por 10 a cada 10 especialistas, no primeiro mês de implementação do aumento os acidentes aumentaram consideravelmente em relação a média de 2016.

2 – Corte de mais de 50% no programa de distribuição de leite para crianças. Doria retirou as crianças acima de 6 anos do programa de distribuição de leite. Destaque para a manipulação grotesca da Folha quando deu a notícia.

3 – Retirada de R$ 30 milhões que seriam gastos em obras contra enchente e terminais de ônibus para contratar “serviços de consultoria”. Um bom gestor tiraria dinheiro público de obras contra enchentes, que assolam São Paulo constantemente, e transferiria para grandes empresas de consultoria?

4 – Mentira deslavada de Doria ao dizer que o pobre agora está fazendo exames em “hospital de rico”. Esta reportagem do Uol aponta que apenas 4% dos exames realizados pelas pessoas que estavam esperando foram realizados nos hospitais citados pelo prefeito gourmet.

5 – Suspensão de programa voltado para deficientes auditivos criado no governo Haddad. Através do programa eram feitos em média 3 mil atendimentos por mês.

6 – Proposta de acabar com a rede pública de farmácias e transferir a distribuição de medicamentos do SUS para a rede privada. Caso seja de fato implementada haverá grande prejuízo para a população mais pobre, uma vez que as grandes redes de farmácia estão nos bairros mais centrais e não na periferia.

7 – Falta de ética na relação público-privado. Doria contratou o amigo Emerson Fittipaldi para fazer propaganda para o governo e, em plena reunião do seu secretariado, fez propaganda de produtos da rede de farmácias de outro amigo, Sidney Oliveira.

8 – A guerra contra os grafiteiros e pichadores. Doria quer transformar o verdadeiro museu a céu aberto que se tornou São Paulo em um deprimente mar de cinza.

Para manter a lista atualizada, conto com a ajuda dos leitores do Cafezinho. Mandem nos comentários desta coluna (e das vindouras atualizações) os fracassos da administração Doria que ficaram de fora!

1 comentários:

Anônimo disse...

Retirou a perua escolar de criancas que moram a menos de 2 km da escola