terça-feira, 17 de maio de 2016

É possível derrubar o governo golpista

Por Bepe Damasco, em seu blog:                                                          

Em poucos dias os golpistas que assaltaram o governo já mostraram suas garras. Não pretendem deixar pedra sobre pedra em termos de políticas sociais e conquistas civilizatórias.

Com esse objetivo, a Esplanada dos Ministérios foi invadida pelo que há de mais desqualificado, corrupto e fétido na política nacional.

O problema para Temer e sua quadrilha é que muita gente capturada pelo massacre midiático diário, que até apoiava a saída de Dilma, começa a perceber que foi enganada e que seus direitos estão prestes a virar pó.

Enquanto as condenações da mídia estrangeira e dos governos de outros países aos golpistas brasileiros cresce a cada dia, aumentando seu isolamento na cena internacional, o movimento de resistência democrática já pode ser considerado um fenômeno de força e disseminação.

Espontaneamente ou de forma mais organizada, não há um dia sequer em que as ruas não sejam tomadas por jovens, mulheres, negros, trabalhadores e LGBTs em protestos contra o golpe. Shows de música são interrompidos pelo gritos de "Fora Temer" e "Fora golpistas", ao mesmo tempo em que artistas, ativistas da cultura e intelectuais renomados se revoltam contra o fim do Ministério da Cultura.

Para surpresa dos golpistas, a entrevista de Temer no Fantástico da Rede Globo acabou saudada por um barulhaço de protesto em todas as capitais e mais de 300 cidades do Brasil.

Vale registrar um fato político de grande importância : o jogo está virando até em tradicionais redutos dos coxinhas, como os bairros da Zona Sul do Rio, nos quais foram fortes os protestos contra Temer na noite deste domingo.

O não reconhecimento do governo por parte dos movimentos sociais, centrais sindicais (CUT e CTB) e partidos do campo da esquerda apontam os caminhos da luta permanente nas ruas, da insubordinação e da sublevação como essenciais para impedir o governo golpista de impor sua pauta lesa-povo e lesa-pátria.

Seja por estar no DNA dos miseráveis que invadiram o Palácio do Planalto, seja porque os financiadores do golpe cobrarão suas faturas, vem aí a mais infame tentativa de liquidar os direitos do povo e vender "tudo o que for possível", conforme admite o "gerente de vendas" do governo, o famigerado Moreira Franco.

Nesse balcão de negócios , eles esperam encher as burras de dinheiro, faturando 127,8 bilhões de reais com as privatizações da Petrobras, Banco do Brasil, Caixa, Correios, Infraero, Eletrobras, IRB e Banco da Amazônia.

Contudo, com o crescimento vertiginoso da reação popular, existem fundadas esperanças de que os fariseus sejam atirados à latrina da história e submetidos à execração publica, antes que consumem esse crime contra o Brasil.

6 comentários:

Ralph Panzutti disse...

Desobediência civil até este governo corrupto cair.
,3

Anônimo disse...

Voltamos aos tempos de D. Pedro I :
INDEPENDÊNCIA ou MORTE !!!
FORA GOLPISTAS TRAIDORES e ENTREGUISTAS !!!
DIRETAS JÁ !!! JÁ !!!

Sávio Alves disse...

Na verdade tenho uma pergunta.
O que aconteceria se um governador de estado anunciasse que nao reconhece o atual governo federal?
Sávio Alves.
savio@ufpa.br

luciana salazar salgado disse...

Que assim seja!
De fato há muitas e novas forças de resistência não capturadas pela lógica que esses abutres há muito estudam, articulando esse golpe.
Que venha o novo!

Luiz Claudio C. Souza disse...

#ForaMídiaGolpista #ForaMídiaDeDireita #ForaMídiaCensurada #ForaMonopólioDeMídia #MídiaLivreJá

Está difícil de aceitar; mas passados mais de trinta anos do fim da ditadura civil-militar de direita, as forças armadas, as polícias militares e federais, o judiciário, a mídia e o legislativo, continuam afinados ideologicamente aos golpistas de 1964, a serviço do poder econômico, perseguindo a esquerda e impedindo o aprofundamento de nossa democracia.

E é incrível a facilidade com que se dá um golpe de estado, no ano de 2016, na oitava economia do mundo, num país continental como o Brasil...

Venicio Eduardo Gonçalves disse...

Sugiro que os integrantes da resistência ao golpe que morem perto de aeroportos se organizem para recepcionar os deputados e senadores golpistas que costumam desembarcar nas quintas feiras, procedentes de Brasília.