terça-feira, 24 de janeiro de 2017

Ives Gandra Filho: O Opus Dei no STF?

Por Altamiro Borges

Setores da mídia já definiram o substituto “ideal” para o posto do falecido ministro Teori Zavascki no Supremo Tribunal Federal (STF). Trata-se do arquiconservador Ives Gandra Filho, atual presidente do Tribunal Superior do Trabalho (TST) e feroz inimigo dos direitos trabalhistas. O jornal O Globo está em plena campanha. Já a Folha até tenta embelezar a biografia do filho do introdutor da seita fascista Opus Dei no Brasil. Na coluna Painel desta terça-feira (24), o jornal destaca apenas: “Cotado para assumir a cadeira de Teori Zavascki no Supremo, Ives Gandra Martins Filho, presidente do TST, é chamado de ‘monge’ pelos amigos” e orgulha-se de ser “um homem de Deus”. É quase um santo!

O site Justificando, que reúne advogados e estudantes de Direito, foi bem mais elucidativo sobre o perfil reacionário do queridinho da mídia. Entre outros fatos, ele lembra que “Ives Gandra Martins Filho, um dos principais nomes na disputa pelo STF, afirmou em 2010, quando publicou artigo sobre Direitos Fundamentais no livro ‘Tratado de Direito Constitucional, v. 1’, que as mulheres devem submissão aos maridos; que casamento deve ser indissociável e deve apenas acontecer entre o homem e a mulher. Além disso, ele ainda comparou as uniões homoafetivas ao bestialismo, usando como exemplo uma mulher casada com um cavalo”.

“Sobre o casamento, o ministro do TST afirma que sua função é gerar filhos e complementação entre seus membros. Além disso, ele sustenta que para isso acontecer, é indispensável que a união seja entre homem e mulher, além do matrimônio ser indissociável, ou seja, impossível de ser desfeito pela lei... As uniões homoafetivas – reconhecidas em maio de 2011 pelo Supremo – foram duramente criticadas por Gandra Filho, uma vez que vão contra a natureza humana, assim como o bestialismo, isto é a união entre um humano e um animal... No seio familiar, Gandra Filho entende que os filhos devem obediência aos pais e a mulher deve ao marido. ‘O princípio da autoridade na família está ordenado de tal forma que os filhos obedeçam aos pais e a mulher ao marido’”. Além disso, ao comentar o divórcio, o ministro entende que ela vai contra a ‘lei natural’”.

Estas e outras ideias medievais de Ives Gandra Filho não são destacadas pela mídia golpista em plena campanha pela sucessão no STF. Nada se fala também sobre a sinistra história do seu pai, o jurista Ives Gandra, o principal responsável pela chegada ao Brasil nos anos 1960 da seita Opus Dei, criada durante a ditadura franquista na Espanha e uma das principais organizações fascistas que atuam no planeta. O filme “O Código Da Vinci”, baseado no best-seller de Dan Brown, mostra como funciona esta organização, que tem como estratégia se infiltrar na mídia privada, nos meios empresariais e também no Poder Judiciário.

9 comentários:

Ana disse...

Lamentável, publica artigos falando de mídia irresponsável ou de desprezo ao embasamento histórico, mas escreve sobre o Movimento Opus Dei com base do livro 'O Código da Vinci'...

Anônimo disse...

Maravilha !!!
Já temos um $ANTO da Opus Dei, governando o Tucanistão, e, poderemos ter outro $ANTO da mesma Opus Dei, como mais um Tucano no $TF ...
Que tal, criarmos vergonha na cara e formarmos uma:
FRENTE AMPLA DEMOCRÁTICA NACIONALISTA !!!
... para lutarmos pela:
ANULAÇÃO deste IMPEDIMENTO que foi uma FARSA ESCANDALOSA !!!
... antes que esta Ditamole, vire uma DITADURA FEROZ, que acabará, também, com a Mídia Alternativa ...
Pelamordedeus:
Deixem os orgulhos e as picuinhas de lado, e lutem pelo Brasil (com S) !!!

Diogo Canteras disse...

Que bom seria ter no supremo uma pessoa com a clareza se Idéias e a coragem de defende-las que apresenta o Ministro Ives Gandra Filho. Se ele é católico, tem que ser coerente com a sua crença. Parabéns ministro Ives!

eu disse...

É de um Ministro como o jurista Ives Gandra Filho que o STF precisa. Por outro lado, descrever o Opus Dei com base no livro de Dan Brown é no mínimo irresponsável.

A Magistra disse...

Esses são os nossos intelectuais de mortadela,Ana. Brasiu siu siu.

Anônimo disse...

Ives Gandra Filho é um nome certo para acabar com essa pouca vergonha esquerdista que em 13 anos levou o Brasil à beira da ruína.

Júlia disse...

Há um tempo tenho pesquisado sobre Ives e a MAIORIA da mídia o critica, jornais, revistas, blogs. Acabo vindo aqui e leio diz uma coisa dessas... ''o queridinho da mídia''??? da onde tirou isso caro autor? Vocês o criticam por suas ideias ''ultraconservadoras'' por deixarem se levar igual idiotas pelo mundo por aí. Ele é cristão católico, defende o que o Cristianismo prega (coisa que a maioria da população brasileira acredita), mas vocês que são a solução do mundo.
Você critica a mídia pelas suas falsas ideias e notícias e por ser altamente manipuladora mas faz exatamente a mesma coisa, autor. Sua luta é em vão por fazer o mesmo que critica. Deixo aqui minha indignação por mais um blog comum por aí, sem real personalidade. Abraços.

Anônimo disse...

Primeiro deveria conhecer o Opus Dei (uma prelazia, não uma seita ou um movimento nazista!) antes de falar tanta besteira. Se seu pai trouxe o Opus para o Brasil, temos que agradece-lo pela enorme generosidade e disposição. Com certeza o Ministro fará um ótimo trabalho, fundamentado em valores esquecidos no mundo de hoje.

Felipe disse...

Eu ia até comentar algo, mas parece descenecessário, já que o autor do blog já levou sopapos demais. Até.