quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Pela imediata privatização da revista Veja

Numa conversa descontraída no aeroporto de Brasília, o irreverente Sérgio Amadeu, professor da Faculdade Cásper Libero e uma das maiores autoridades brasileiras em internet, deu uma idéia brilhante. Propôs o início imediato de uma campanha nacional pela privatização da Veja. Afinal, a poderosa Editora Abril, que publica a revista semanal preferida das elites colonizadas, sempre pregou a redução do papel do Estado, mas vive surrupiando os cofres públicos. “Se não fossem os subsídios e a publicidade oficial, as revistas da Abril iriam à falência”, prognosticou Serginho.

As “generosidades” do governo Lula

Pesquisas recentes confirmam a sua tese. Carlos Lopes, editor do jornal Hora do Povo, descobriu no Portal da Transparência que “nos últimos cinco anos, o Ministério da Educação repassou ao grupo Abril a quantia de R$ 719.630.139,55 para compra de livros didáticos. Foi o maior repasse de recursos públicos destinados a livros didáticos dentre todos os grupos editoriais do país... Nenhum outro recebeu, nesse período, tanto dinheiro do MEC. Desde 2004, o grupo da Veja ficou com mais de um quinto dos recursos (22,45%) do MEC para compra de livros didáticos”.

Indignado, Carlos Lopes criticou. “O MEC, infelizmente, está adotando uma política de fornecer dinheiro público para que o Civita sustente seu panfleto – a revista Veja”. Realmente, é um baita absurdo que o governo Lula ajude a “alimentar cobras”, financiando o Grupo Abril com compras milionárias de publicações questionáveis, isenção fiscal em papel e publicidade oficial. Não há o que justifique tamanha bondade com inimigos tão ferrenhos da democracia e da ética jornalística. Ou é muita ingenuidade, ou muito pragmatismo, ou muita tibieza. Ou as três “virtudes” juntas.

A relação promiscua com os tucanos

Já da parte de governos demos-tucanos, o apoio à famíglia Civita é perfeitamente compreensível. Afinal, a Editora Abril é hoje o principal quartel-general da oposição golpista no país e a revista Veja é o mais atuante e corrosivo partido da direita brasileira. Não é de se estranhar suas relações promíscuas com o presidenciável José Serra e outros expoentes do PSDB-DEM. Recentemente, o Ministério Público Estadual acolheu representação do deputado federal Ivan Valente (PSOL-SP) e abriu o inquérito civil número 249 para apurar irregularidades no contrato firmado entre o governo paulista e a Editora Abril na compra de 220 mil assinaturas da revista Nova Escola.

A compra de 220 mil assinaturas representa quase 25% da tiragem total da revista Nova Escola e injetou R$ 3,7 milhões aos cofres do “barão da mídia” Victor Civita. Mas este não é o único caso de privilégio ao grupo direitista. José Serra também apresentou proposta curricular que obriga a inclusão no ensino médio de aulas baseadas nas edições encalhadas do “Guia do Estudante”, outra publicação da Abril. Como observa o deputado Ivan Valente, “cada vez mais, a editora ocupa espaço nas escolas de São Paulo. Isso totaliza, hoje, cerca de R$ 10 milhões de recursos públicos destinados a esta instituição privada, considerando apenas o segundo semestre de 2008”.

O mensalão da mídia golpista

Segundo o blog NaMariaNews, que monitora a deterioração da educação em São Paulo, o rombo nos cofres públicos pode ser ainda maior. Numa minuciosa pesquisa aos editais publicados no Diário Oficial, o blog descobriu o que parece ser um autêntico “mensalão” pago pelo tucanato ao Grupo Abril e a outras editoras, como Globo e Folha. Os dados são impressionantes e reforçam a sugestão de Sérgio Amadeu da deflagração imediata da campanha pela “privatização” da revista Veja. Chega de sugar os cofres públicos! Reproduzo abaixo algumas mamatas do Grupo Civita:

- DO de 23 de outubro de 2007. Fundação Victor Civita. Assinatura da revista Nova Escola, destinada às escolas da rede estadual de ensino. Prazo: 300 dias. Valor: R$ 408.600,00. Data da assinatura: 27/09/2007. No seu despacho, a diretora de projetos especial da secretaria declara “inexigível licitação, pois se trata de renovação de 18.160 assinaturas da revista Nova Escola.

- DO de 29 de março de 2008. Editora Abril. Aquisição de 6.000 assinaturas da revista Recreio. Prazo: 365 dias. Valor: R$ 2.142.000,00. Data da assinatura: 14/03/2008.

- DO de 23 de abril de 2008. Editora Abril. Aquisição de 415.000 exemplares do Guia do Estudante. Prazo: 30 dias. Valor: R$ 2.437.918,00. Data da assinatura: 15/04/2008.

- DO de 12 de agosto de 2008. Editora Abril. Aquisição de 5.155 assinaturas da revista Recreio. Prazo: 365 dias. Valor: R$ 1.840.335,00. Data da assinatura: 23/07/2008.

- DO de 22 de outubro de 2008. Editora Abril. Impressão, manuseio e acabamento de 2 edições do Guia do Estudante. Prazo: 45 dias. Valor: R$ 4.363.425,00. Data da assinatura: 08/09/2008.

- DO de 25 de outubro de 2008. Fundação Victor Civita. Aquisição de 220.000 assinaturas da revista Nova Escola. Prazo: 300 dias. Valor: R$ 3.740.000,00. Data da assinatura: 01/10/2008.

- DO de 11 de fevereiro de 2009. Editora Abril. Aquisição de 430.000 exemplares do Guia do Estudante. Prazo: 45 dias. Valor: R$ 2.498.838,00. Data da assinatura: 05/02/2009.

- DO de 17 de abril de 2009. Editora Abril. Aquisição de 25.702 assinaturas da revista Recreio. Prazo: 608 dias. Valor: R$ 12.963.060,72. Data da assinatura: 09/04/2009.

- DO de 20 de maio de 2009. Editora Abril. Aquisição de 5.449 assinaturas da revista Veja. Prazo: 364 dias. Valor: R$ 1.167.175,80. Data da assinatura: 18/05/2009.

- DO de 16 de junho de 2009. Editora Abril. Aquisição de 540.000 exemplares do Guia do Estudante e de 25.000 exemplares da publicação Atualidades – Revista do Professor. Prazo: 45 dias. Valor: R$ 3.143.120,00. Data da assinatura: 10/06/2009.

Para não parecer perseguição à asquerosa revista Veja, cito alguns dados do blog sobre a compra de outras publicações. O Diário Oficial de 12 de maio passado informa que o governo José Serra comprou 5.449 assinaturas do jornal Folha de S.Paulo, que desde a “ditabranda” viu desabar sua credibilidade e perdeu assinantes. Valor da generosidade tucana: R$ 2.704.883,60. Já o DO de 15 de maio publica a compra de 5.449 assinaturas do jornalão oligárquico O Estado de S.Paulo por R$ 2.691.806,00. E o de 21 de maio informa a aquisição de 5.449 assinaturas da revista Época, da Globo, por R$ 1.190.061,60. Depois estes veículos criticam o “mensalão” no parlamento.

4 comentários:

Anônimo disse...

Caro, Miro, você que é bem mais inteligente que nós e bem mais informado, poderia explicar por que raios o Governo Lula tem a coragem de repassar a fábula de R$ 720 milhões a esse esgoto chamado Veja??? Cara, eu não consigo entender. Será que foi no auge das denúncias do mensalão??? Aí você vai lá no blog de esgoto dessa revista (você sabe de quem) e o cara lá acusa a Ideli de usar dinhiro público para fazer um curso fora do País... o mesmo dinheiro público que é usado para financiar essa gente.

DANIEL PEARL disse...

Palavra de José Dirceu: Um blog de esquerda, declaradamente petista, em prol da continuidade do governo Lula e voltado à pré-candidata do PT, Dilma Rousseff, está em primeiríssimo lugar no Concurso Prêmio BlogBooks da Bienal do Livro 2009. Trata-se do Blog da Dilma, um dos maiores portais, hoje, sobre a ministra-chefe da Casa Civil, editado por Jussara Seixas e Daniel Pearl.
Acesse e vote: http://www.blogbooks.com.br/categorias/politica/
Ultrapassando, na votação popular do concurso, blogs como os de Luis Nassif, Luiz Carlos Azenha e o site Acertos de Contas, o Blog da Dilma tem tudo para ganhar a premiação e avançar ainda mais em seu projeto: a eleição da pré-candidata petista à presidência da República em 2010. O objetivo da Bienal é coroar o esforço dos que se destacaram na blogosfera brasileira em 12 categorias principais entre 2008 a 2009. Ao todo concorrem 120 blogs. A todos os leitores, recomendo que acessem o Blog da Dilma e votem no portal Prêmio BlogBooks da Bienal. Se ganhar - e torço por isso - o Blog da Dilma será publicado em livro e mais, terá divulgação na imprensa. A votação vai até o próximo 17 de setembro. Portanto, mãos à obra!.

Jose Eduardo Mendonça disse...

Sem entrar no mérito da questão: Victor Civita não pode ser um barão, uma vez que morreu há muito tempo. E seu neto homônimo está longe de controlar a empresa.

Blog do Morani disse...

Li com a atenção, que me é própria, o seu comentário neste seu espaço sobre a "brilhante" idéia sugerida pelo "irreverente" senhor Sergio Amadeu - professor da Faculdade Casper Líbero - de se iniciar campanha para a privatização da revista Veja da Editora Abril. Ora, "irreverente" significa: desatencioso, incível, irreverencioso, desrespeitoso, etc.. Como pode alguém com essas qualidades ter "brilhante idéia" a uma causa sem fundamento? Pelo que me consta, a Editora em pauta é de iniciativa privada. Como, pois, privatizar o que não pertence ao Estado? Diz mais o seu comentário: "A revista semanal é a preferida das elites colonizadoras". Vejo essa revista em residências modestas de famílias totalmente avessas às questões da política. Continuando em seu diapasão: "Vem surrupiando os cofres públicos e ao mesmo tempo prega a redução do papel do Estado. Se não fossem os subsídios e a publicidade oficial, as revistas da Abril iriam à falência." São os diretores da Abril que assaltam os cofres públicos, mercê suas próprias iniciativas, ou é o próprio governo que generosamente lhes oferece sua propaganda por intermédio de seus escritórios especializados? R$ 719.630.139,55 ao Departamento Editorial Abril para compra de livros didáticos, nos informa o senhor. A Abril colocou a faca ao peito do governo para receber encomenda de tal porte? Exigiu para sí essa missão? Continua o senhor, ainda: "Chega de sugar os cofres públicos." Interessante que não se vê nem um só cidadão, ou blogs, ou sites exigirem que o próprio governo Lula - como outros, iguais aos famigerados Collor e Fernando Henrique - se abstenha de "sugar" os cofres da Previdência com outro fim que não seja de caráter puramente a favor dos aposentados. Os DO de 23/10/2007 a 16/06/2009 registram o momentante de R$ 21.771.411,00 de verbas cedidas ao Grupo Abril, e mais R$ 12.963.060,72 em 10 do corrente mês. Total: R$ 44.734.471,72! Para dar publicidade a quê? Ao Pac emPACado? À "Luz para Todos?" Ao "Primeiro Emprêgo?" À "Estruturação à Saúde?". Em meu blog "blogdomorani@gmail.com" postei nesta data comentário sobre o PIG, e solicito esclarecimentos a outras dúvidas. É possível não existir no Brasil hebdomadário que postule defender o atual governo? Um jornal, que seja, de norte a sul, que se ombreie a esse mesmo governo? Um canal de TV? E que a população, quase que inteira, do país seja formada por direitistas com sonhos de "Mil e Uma Noites" em aplicar um golpe? O que faz o senhor Lula a não ser dar continuidade aos mesmos principios neoliberais dos outros dois "irreverentes" governos passados? Digo isto com muita tranquilidade. Já fui lulista; alimentei sonhos de mudanças radicais com ele à direção dos destinos desta Pátria. Nada mudou, senhor Altamiro; para não ser injusto a ele, mudou sim: para pior! Alimenta a sua aversão aos idosos aposentados, esquecendo a sua origem humilde; concede verbas elevadíssimas a empresários africanos; financia metrôs aos alienígenas e até mesmo o famigerado e odioso FMI, ao qual ele "exigia", do último governo tucano, auditoria para estabelecer a real dívida do Brasil. Postarei esse comentário em meu blogue, para preservá-lo em meus arquivos. Mui cordialmente e grato por hospedar este comentário em seu espaço.