quinta-feira, 7 de julho de 2011

Rafinha Bastos é alvo do Ministério Público

Por Altamiro Borges

Numa decisão que irritará os donos da mídia, que se consideram acima das leis e do Estado de Direito, o Ministério Público de São Paulo pediu hoje (7) a abertura de inquérito policial contra o humorista Rafinha Bastos, do programa "CQC" da TV Bandeirantes, para apurar suas recentes declarações machistas sobre o estupro, que caracterizariam incitação e apologia ao crime.


As declarações foram feitas em seu show de comédia stand-up e foram reproduzidas na revista "Rolling Stone". O "humorista" afirmou na ocasião que toda mulher que reclama que foi estuprada é feia, e que o homem que cometeu o ato merecia um abraço, e não cadeia.

"O estupro é um crime"

O pedido de abertura do inquérito foi feito pela promotora de Justiça Valéria Diez Scarance Fernandes, coordenadora do Núcleo de Combate à Violência Doméstica e Familiar. No ofício, ela argumenta que Rafinha Bastos compara o estupro a "uma oportunidade" para determinadas mulheres e o estuprador a um benfeitor, digno de "um abraço". "O estupro é um crime. O estuprador é um criminoso que deve ser punido e não publicamente incentivado", conclui Valéria Fernandes.

A ação é resultado de representação feita à Promotoria pela coordenadora do Núcleo Especializado de Promoção e Defesa dos Direitos da Mulher, da Defensoria Pública do Estado de São Paulo, Thais Helena Costa Nader. Quando da "piadinha" de péssimo gosto, o Conselho Estadual da Condição Feminina de São Paulo, órgão composto por representantes da sociedade e do poder público, divulgou dura nota de repúdio:

Reflexo da pressão popular

"A liberdade de expressão, direito previsto constitucionalmente, encontra limite quando em choque com outro direito, que é o da dignidade da pessoa humana, que está acima de qualquer outro", diz a nota. O conselho viu na piada de Bastos conteúdo machista e preconceituoso, "encorajando homens, bem como fazendo parecer que o crime de estupro, hediondo por sua natureza, não seja punível".

O "humorista" também foi alvo de várias manifestações de protesto. Em São Paulo, as participantes da Marcha das Vadias realizaram um ato de repúdio em frente ao Comedians, o clube de comédia de Rafinha Bastos. No Rio, ele também foi vaiado por suas declarações machistas. Agora, com a decisão do MP paulista, o "humorista" terá que prestar esclarecimentos. A coisa esquentou!

8 comentários:

Anônimo disse...

Demorô.
Todo cafa acaba trombando com quem lhe dá um freio.

Anderson disse...

Tá faltando criminoso no Brasil. É muita falta do que fazer levar uma piada a sério.

A invenção de um Brasil Musical disse...

é isso mesmo! nada de piadas com estrupo, maestros, músicos e homossexualismo, negros, brancos ou judeus. Também nada de piadas com políticos, professores, juízes, médicos, procuradores e profissões em geral. Acho também que não devia-se mais contar piadas que envolvessem esportes como futebol, volei, basquetebol, e outros importantes mecanismos de inserção social. Acho desprezível piadas que envolvam homens mulheres, crianças, adolescentes, velhos e mortos, sem falar do mal gosto das piadas sobre religião, principalmente da minha e da minha empregada que é muito sensível. Alias, não pode piada de empregada (principalmente se for a minha) contra anafalbeto, desdentados e deficientes físicos...piada deve ser só sobre...bom..sobre..alias,​ pra que piada mesmo, né? vamos todos viver no soturno mundo dos politicamente corretos, mas que acham normal corromper o guarda; vamos todos viver sérios, sem esse escracho pequeno burguês ultrapassado da alegria; vamos todos morrer que é muito mais barato e ecologicamente do que ficar vivendo e destruindo tudo por ai...QUE LOUCURA!!!!!!!!!!

A invenção de um Brasil Musical disse...

Que tal uma campanha contra as músicas que eu não gosto, contra os livros que eu não leio, contra os discursos que eu não suporto, contra o direito de expressão que não seja o meu e da maneira como eu acho bonito, contra o azul do céu porque o marrom é mais bonito e contra os blogs que servem de campo ideário dos antigos hippies, maconheiros e loucos que ainda acreditam na liberdade, no estado de direito e no bom senso das pessoas?

A invenção de um Brasil Musical disse...

Estou cada vez mais impressionado como a sociedade está se tornando tacanha, careta, falso moralista, hipócrita, insensível e cheia de discurso sobre tudo que não é importante! O Brasil naufraga em crise éticas, legais, a fome grassa, a miséria impera, a educação é a verdadeira piada de mau gosto, a robalheira corre solta e a preocupação é calar um humorista? é controlar a produção da arte? é dar cada vez mais espaço para os intolerantes de plantão?? meu deus!!! que tristeza!!!!!!!!!

Anônimo disse...

Ridícuo: então toda piada que mencione a origem (português) ou a cor ("negão") são racistas, toda piada com gay é homofóbica e por aí afora? Por sinal, achei a piada ótima, no contexto de um show de humor. Ele não estava dando aula de catecismo em Bangu 1...
Tsc tsc tsc...

Caricatura disse...

Concordo com o Anderson. Parece que no Brasil não existem criminosos de fato, não tem político ladrão, nem ministro corrupto, não somos assaltados nas ruas todos os dias, e nem existem assassinos soltos nas ruas. Mandar prender ou processar um humorista por causa de uma piada estúpida só pode mesmo ser falta do que fazer! Ta faltando trabalho pra muita gente nesse país de quinta.

proxy de orkut disse...

isso se chama falta do que fazer