domingo, 10 de outubro de 2010

O aborto da "revista" Veja




Reproduzo artigo de André Lux, publicado no blog "Tudo em cima":

Que a revista Veja não passa de um panfleto da extrema direita tupiniquim, atualmente a serviço da campanha de José Serra, ninguém tem mais dúvida. Por isso não vou chover no molhado. Com o advento da internet e o surgimento da blogosfera progressista, as mentiras, os factóides e a hipocrisia de Veja passaram a ser desmascaradas em questão de dias, depois horas e agora... minutos!

A galera do twitter estava de olho esperando o que o pasquim dos Civita ia aprontar contra Dilma e... bingo: aborto! O objetivo é claro, mostrar que Dilma é "do mal", a favor de "matar criancinhas", além de mentirosa e incoerente.

Mas é mais um tiro no pé. Bastou Veja divulgar a capa "bombástica" que alguém pesquisou e achou outra capa da mesma revista, de setembro de 1997, que trazia uma matéria séria sobre o tema, amplamente favorável à liberação do aborto, com confissões abertas inclusive feitas por celebridades! Confira:


"Nós fizemos aborto"

Mulheres de três gerações enfrentam a lei, o medo e o preconceito e revelam suas experiências

- Andréa Barros, Angélica Santa Cruz e Neuza Sanches

Elas resolveram falar. Quebrando o muro de silêncio que sempre cercou o aborto, oito dezenas de mulheres procuradas por Veja decidiram contar como aconteceu, quando, por quê. Falaram atrizes, cantoras, intelectuais mas também operárias, domésticas, donas de casa. Falaram de angústia, de culpa, de dor e de solidão. Também falaram de clínicas mal equipadas, de médicos sem escrúpulos, de enfermeiras sem preparo, de maridos e namorados ausentes. A apresentadora Hebe Camargo contou que, quando era uma jovem de 18 anos, ficou grávida do primeiro namorado e foi parar nas mãos de uma curiosa que fez a cirurgia sem anestesia nem cuidado. A atriz Aracy Balabanian, a Cassandra do Sai de Baixo, ficou grávida quando estava chegando aos 40 anos e dando fim a um longo relacionamento. Resolveu fazer o aborto, convencida de que a criança não teria um bom pai nem ela seria capaz de criá-la sozinha. Metalúrgica da Força Sindical, a mineira Nair Goulart, 45 anos, fez dois abortos nos anos 70 por motivos econômicos. Ela e o marido, também operário, ganhavam pouco, viviam num quarto de despejo e não teriam meios de educar nenhum filho.

Quando o Congresso brasileiro debate a regulamentação de uma legislação que autoriza a realização de aborto apenas em caso de estupro e de risco de vida para a mãe como está previsto no Código Penal desde 1940 , a disposição das mulheres que falaram a Veja não é apenas oportuna, mas também corajosa. Embora o 1º Tribunal do Júri de São Paulo, o maior do país, já tenha completado mais de uma década sem condenar nenhuma mulher em função do aborto, a legislação estabelece para esses casos penas que vão de um a três anos de prisão. E a maioria delas não fez aborto pelos motivos previstos em lei, mas porque, cada uma em seu momento, cada uma com sua história pessoal, considerou as circunstâncias e concluiu que interromper a gravidez era uma saída menos dolorosa do que ter um filho que não poderia criar".



A reportagem continua no link da revista. Ah, outra coisa importante: a blogosfera também desencavou uma reportagem da revista TRIP de nº 41, na qual Soninha Francine declarou que já tinha feito aborto e que era favorável à descriminalização.

Detalhe: Soninha, ex-esquerdista e atual neocon renascida, é uma das coordenadoras de campanha de José Serra (PSDB). Ela é cotada para ser Ministra de Serra, se ele vencesse, e atua na campanha sobretudo na internet. E é pela internet, através de emails em massa, que partidários de Serra espalham a campanha de ódio e difamação contra Dilma.

Se não me engano, a denúncia foi feita pelo blog Os Amigos do Presidente Lula, que fez questão de comentar: "Nós não somos como eles, e não vamos apedrejar Soninha. O próprio cristianismo ensina que, quem não tiver pecados, que atire a primeira pedra. Vamos só denunciar essa hipocrisia, essa má-fé, o falso testemunho, e esse uso do nome do Senhor em vão, com fins eleitoreiros, pelos partidários de José Serra."

E agora, José Serra? Será que sua esposinha vai sair por aí gritando aos quatro ventos que a Hebe Camargo e Soninha gostam de "matar criancinhas"? Quem viver, verá...

.

6 comentários:

O Kylocyclo disse...

Pior que eu acho a Soninha uma gatona. Se ela não fosse tucana...

Luciana Cavalcanti disse...

Miro,

Excelente matéria esta! O bom seria encontrarmos um exemplar da Revista Veja citada e difundir!!! Vamos desmascarar a Veja!!!

Outra sugestão, Miro: põe as ferramentas de compartilhar conteúdo no fim dos posts de teu blog, pra facilitar a gente a divulgar!!

Um grandíssimo abraço!

Paz e Bem! Axé!

sizernando disse...

A questão é: ELA É CONTRA OU A FAVOR DO ABORTO?

Se é a VEJA, ISTO É ou ÈPOCA não vem ao caso.

Fica claro que é uma posição eleitoreira da Dilma.

Quero mais é que ela exploda pra não dizer coisa pior, e se explodir que leve o Serra junto.

chega de bandidagem! ANARQUIA JÄ!

Anônimo disse...

chega!!!! não deu certo no ceara e tambem não dará no brasil,lembre-se o voto é soberano é vontade e anseio de um povo.daremos sim a vitoria a dilma pois amamos esse brasil,reconquistamos nossa dignidade,mesa farta,moradia,conforto para nossa familias. nordestino vota dilma.

Anônimo disse...

Nao achei que a questao aqui seja ter feito aborto ou não, o que ficou claro para mim até agora é que a Dilma se transformou completamente nesta campanha e provou ser totalmente incoerente, a capa é sobre isso!!Conheci Dilma anterior a sua candidatura, ela mudou COMPLETAMENTE para ganhar votos!

Rodrigo Carvalho disse...

Tem que informar à Veja para inserir a esposa do serra dentre as que já fizeram aborto.