domingo, 6 de maio de 2012

TV Record bate para matar na Veja

21 comentários:

Werner Piana disse...

realmente, Espetacular este domingo com a #VejaNaRecord o porque da #VejaNaCPI ...

Carmen Regina Dias disse...

Vichiiii!!!

Veja na lona, nocaute náo demora.

Anônimo disse...

Parabéns à TV RECORD por romper a blindagem com que se tem tentado impedir que se investigue o Sr. Civita. Já, já, os "jornalistas" Merval, Noblat e M.Leitão serão obrigados a tratar do assunto.

Anônimo disse...

A Record bateu também na presidente Dilma pois, ficou claro que ela fez a limpa no Ministério dos transportes através da reportagem plantada por Cachoeira na Veja, conforme informa a emissora.

Anônimo disse...

Tá, a Veja precisa ser investigada sim, e essa relação esclarecida. Mas isso desqualifica os fatos denunciados? Não né? Santificar a Redor também, tem dó...

Aristides Pereira da Silva disse...

Muito bom, temos que divulgar...

antonio barbosa filho disse...

Grande contribuição da TV Record ao processo democrático. Não dá mais para o PIG abafar a investigação, os crimes da veja estão na boca-do-povo.
Logicamente, Dom Bob Civita e seus meninos, Policarpo e outros, terão todo direito a defesa, no banco da CPMI e, em seguida, no Judiciário.
Lugar de golpista e criminoso é na cadeia. De segurança máxima, sem celular nem nextel.

Luciano disse...

Caramba!!! Que a revista Veja era pilantra eu já sabia... mas a esse ponto de cumplicidade com o crime organizado, não.
Em qualquer outro País, esse vigarista já estariam todos atras das grades. Mas aqui, contam com um certo Ministro do Supremo, n?

Anônimo disse...

Há muitos anos não mais assino esta revista pelo desserviço que ela tem prestado à verdade e à justiça. #vejacpija.

Ricardo G. Ramos disse...

Seria tão bom se a brilhante reportagem do Domingo Espetacular da Rede Record repercutisse em toda a sociedade brasileira. Merece no mínimo um prêmio Esso. Quiçá um Globo de Ouro.

Martinha Mendes dos Santos disse...

e a vênus platinada num silêncio ensurdecedor!!!!

Fábio de Oliveira Ribeiro disse...

Não basta investigar a Veja. É preciso fazer uma CPI dos anunciantes da revista, pois Veja beneficiava Cachoeira/Demóstenes/Empresários com lucro dos anúncios e precisamos saber se os anunciantes tiravam proveito do que era feito ou sustentavam a revista para que ela fizesse justamente o que fazia.

RLocatelli Digital disse...

Realmente, a Record quebrou o lacre com que o PIG tenta blindar a Veja. O bispo Edir Macedo pode ter muitos defeitos, mas temos que reconhecer: ele tem visão estratégica. Ele percebeu que há todo um nicho de mercado de cidadãos conscientes, de esquerda ou nacionalistas, que não é contemplado pelo "jornalismo" da Globo, Veja, Folha e Estadão. Melhor pra nós que seja assim.

fedola disse...

Honestamente, eu esperava comemorar uma matéria mais comprometida com os fatos, e menos comprometida com a posição política de "pegar a Veja".

Dizem que há 200 conversas gravadas entre Cachoeira e Policarpo, e o repórter da TV Record reproduziu esta versão. Apresentou, no entanto, uma única, em que não há mais do que um aviso de Cachoeira sobre o paradeiro de Cláudio Abreu (Delta), a que Policarpo responde com um lacônico "ok, beleza". Não deixa claro se Policarpo foi mesmo conversar com Abreu. Não deixa claro o ordenamento cronológico dos fatos tematizados: o aviso a Policarpo seria antecedente imediato da reportagem de Veja que detonou o esquema no Ministério dos Transportes, aquela que gerou a comemoração telefônica de Abreu e Cachoeira (áudio também divulgado na matéria da Record, mas editado diferentemente em mais de uma de suas passagens)? É o que fica sugerido, insinuado, mas cadê as datas que poderiam, senão comprová-lo, ao menos dar suporte à insinuação?

No geral, onde estão os outros 199 áudios de conversas diretas entre Policarpo e Cachoeira? Estão no inquérito que atravessou a rua, do STF para o Congresso, e que dizem que vazou integralmente na internet? Mas o que contêm esses 199 áudios? Pelo visto, nada que comprometa Policarpo muito mais do que os áudios "indiretos" (conversas entre Cachoeira e Abreu ou outros de seus sócios). Ou então, as informações sobre esses 199 supostos áudios estão sendo guardadas (por quem?) para outro momento, de modo a produzir efeito mais devastador sobre Veja. Por que os 199 ainda não vazaram e nada se fala sobre esse não vazamento? Como é possível avançar hipóteses sem conhecer o seu conteúdo e sem nem sequer frisar esse desconhecimento? Ou será que a versão das "200 ligações" não passa de blefe? (De quem?)

Na minha visão, uma reportagem que entra nesse jogo sem elucidar o quanto há de dados concretos e o quanto há de hipóteses e conjecturas não é jornalismo sério. Presta-se a ser elemento acessório da luta política entre oficialismo e oposicionismo. Reproduz o que há de mais lamentável na grande imprensa brasileira, apenas com sinal político invertido. Dá a entender que não se pode falar ao grande público senão num tom maniqueísta: os bandidos não estão no governo, mas na imprensa (a "do lado de lá", evidentemente) e na oposição.

O que um jornalismo investigativo sério precisa levar à tela da TV aberta, em horário nobre, é a história completa - o que se sabe e o que não se sabe sobre ela. Gurgel e a sentada em cima do inquérito da Las Vegas; Las Vegas e Monte Carlo; o que vazou e o que não vazou; tudo o que realmente há contra Veja - e não apenas ela, considerados todos os órgãos de imprensa! - nos inquéritos; o que falta ser elucidado e, portanto, merece ser tematizado na CPMI. Um bom ponto de partida, repito, é a cantilena das "200 ligações". Quem assegura esse número? Ele se refere a que espaço de tempo? Associa-se - e de que maneiras - a quais matérias publicadas por Veja? Qual, enfim, o seu conteúdo?

Temo, no entanto, que a TV Record não tenha interesse em desempenhar esse papel de desmistificação da batalha de bastidores - informações e versões que se constroem como insinuações, como possíveis "bombas" a serem lançadas contra fulano, beltrano ou sicrano. Infelizmente, parece-me que mais lhe convém entrar nessa mesma batalha, e fazê-lo colocando-se a serviço do grupo político adversário daquele a que se alia a TV Globo. Do ponto de vista do interesse público à informação, os procedimentos utilizados pela Record nessa reportagem diferem muito pouco, se tanto, dos tantas vezes denunciados procedimentos da Globo.

Anônimo disse...

Usar a TV do Bispo como fonte é o "Ó". Desespero de causa. Não fosse a VEja já teriam roubado até a estátua de JK em Brasília

Francy Granjeiro disse...

Assistir, foi super Fantástico

Anônimo disse...

HAHAHAHAHAHA... Um blog que diz lutar contra a fantasia da ditadura midiatica usando videos da Record para se promover, opa quer dizer para comprovar o que diz. Veja realmente não é santa mas a Record? A carta capital eu entendo governo banca impressão da revestinha e ela publica o que o diretório passa, é a lei do comercio. Agora a Record que é o maior grupo criminoso que existe dessa pais, perto do cachoeira ela é a cataratas do iguaçu.

Anônimo disse...

Estranho seria se a fonte fosse o papa... ???

Tem que ser um dos bandidos... ta certinho a VEJA, derrubou muito ladrão em ministério.
Eu apoio a VEJA, acho até que vou fazer uma assinatura só pra dar uma forcinha...

Admin disse...

Tá a Veja usou como fonte um corrupto e contraventor, mas e os fatos são verdadeiros? Parece que sim, pois a presidente demitiu em função deles. E a Record é algum modelo de isenção? PHA pelo menos é certo que não é.

FcoSPIN disse...

se Edir Macedo nunca foi pego por uma CPI, por que o jornalista haveria de ser?

povinho que não diferencia as coisas.

Anônimo disse...

A Presidente DILMA FEZ USO DO PRETEXTO (dado pela mídia corrupta) para afastar os elementos que ATRAPALHAM os VERDADEIROS DONOS DO BRASIL FAZEREM DO PAÍS O QUE BEM ENTENDEM , sem que ninguém tenha que se responsabilizar, pois fica parecendo que quem manda é a "OPINIÃO PÚBLICA"! A DILMA também é uma pedra no tabuleiro deste jogo, que só não entende quem teornou-se incapaz de pensar porque fica assistindo a GLOBO, e, quando lê, lê a VEJA! (SIC)