domingo, 18 de março de 2012

A tiragem turbinada de Veja

Por DiAfonso, no blog de Luis Nassif:

Como não tenho competência para falar sobre o tema, solicitei informações a alguns profissionais de São Paulo acerca da queda nas vendas da Revista Veja. Não demorou muito e algumas valiosas informações, quanto aos boletins divulgados pelo IVC e a relação com a perda de leitores pela Veja, foram-me repassadas. Segue-se conteúdo de e-mail enviado por um desses competentes profissionais, cujo anonimato será preservado por questões óbvias:

Caro amigo, Como vc não é do ramo, informo: esses boletins do IVC são "auditorias juradas", ou seja, não foi feita auditoria do IVC. Essas informações "juradas" podem ser auditadas e precisariam de confirmação, em até 6 meses depois, por parte do IVC, mas nem sempre acontece. De toda forma, o que quase nunca aparece nos boletins é o retorno do reparte, ou seja, o que os jornaleiros devolvem por não ter havido vendas. Repare nas bancas, fale com um jornaleiro de uma grande banca. Ele recebe, digamos, 100 ou 200 exemplares na semana, e vende só 20 ou 30. No sábado, quando adquire a edição seguinte, o jornaleiro devolve só a 1ª capa da edição anterior, amputada do exemplar, para não fazer peso, e destina a revista para reciclagem.

Já os exemplares de circulação têm uma enganação perversa no mercado, tudo para aumentar a tiragem do semanário mentiroso: assinaturas são vendidas aos milhares para secretarias de estado, especialmente SP, e nos estados onde o PSDB tem governador. Sem medo de errar, eu diria que mais de 30% da tiragem da "Revista Óia" é por assinaturas pagas pelos governos. Outra grande mentira diz respeito aos exemplares enviados a nomes de listagens, de cartão de crédito e até de condomínios, como se fossem assinantes, o que inflaciona a tiragem total, e esta é a régua das agências para colocar publicidade na "Óia", cuja página indet. de anúncio custa, na tabela, R$ 140.000,00 por uma inserção.

Qualquer publicitário, de maior ou menor trânsito no setor, sabe disso... Abs!

5 comentários:

brz disse...

Realmente, o governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Educação são os maiores mantenedores do PIG escrito, assinam em uma tacada só a Veja, o Estadão e a Falha para todas as escolas estaduais, isso sobre o universo que conheço, é uma forma de a ideologia do PIG chegar a todos os recantos do Estado. Temos que aprender com eles, como disseminar a ideologia.

. disse...

O que tem acontecido comigo e minha esposa, pode está acontecendo por todo Brasil. Seguinte, a Veja tem nos mandado dois exemplares todo final de semana já fazem 5 meses. Detalhe, não somos assinantes da revista já fazem 10 anos. Entramos em contato com a editora Abril e obtivemos a seguinte resposta, pasmem vocês: "não se preocupem com cobrança, não iram ter, é uma promoção que estamos fazendo...". Pois bem, leio a coluna "GENTE" depois jogo-as no lixo.

Anita Kairuz disse...

Vou repetir o q já disse aqui! Achei bastante tristebestabentrevistabde Dilma à Veja! É um tapa na cara do Brasil e de Lula! Por + q houvesse esta necessidade , por causa da governabilidadea nao era p esta revista q a entrvista deveria ser dada! Eunesperava mais da Dilma , eu já nem sei se votaria nela de novo...

Anônimo disse...

O governo de SP assina não só a Veja como também a Isto É e a Época.

Anônimo disse...

A revista Veja tem feito um excelente serviço, desmascarando os sujos meandros da política nacional, especialmente a quadrilha que andou no poder, cujo secretário geral logo será engaiolado e o seu líder maior, dentro em breve será desmascarado e tomará o mesmo caminho. É natural que a quadrilha use sua máquina de propaganda para desacreditar a mídia e para construir a "verdade" que interessa aos seus planos absolutistas. Mas como ninguém engana muita gente por muito tempo, as verdades vão aparecendo. Parabéns à Veja.