sábado, 10 de novembro de 2012

Joias da Micarla e sumiço do Agripino

Por Altamiro Borges

Afastada da prefeitura de Natal por suspeitas de corrupção, a “verde” Micarla de Souza afunda a cada dia que passa. A oligarquia potiguar teme pelos efeitos devastadores das denúncias contra a ex-prefeita do PV. Nesta semana, o Ministério Público Estadual acusou a protegida do senador Agripino Maia, presidente do DEM, de pagar contas pessoais com dinheiro de propina de prestadoras de serviços e de fornecedoras de produtos. “Entre essas despesas, estão a escola dos filhos e a compra de joias”, relata o jornal O Globo.

O juiz da 7ª Vara Criminal de Natal, José Armando Ponte Dias, determinou o fim do sigilo das investigações do Ministério Público do Rio Grande do Norte sobre a contratação do Instituto de Tecnologia, Capacitação e Integração Social, para o combate à dengue. Os promotores detalharam o esquema de corrupção na Secretaria Municipal de Saúde. As transcrições de grampos telefônicos, e-mails e mensagens de celular, segundo o MP, revelaram uma rede articulada envolvendo empresários e servidores públicos.

O ex-marido de Micarla, o radialista Miguel Weber, também é acusado de participar da “quadrilha” que desviava recursos do município. As denúncias, feitas pelo procurador-geral Manoel Onofre Neto, incluem ainda os secretários de Saúde e Planejamento e o procurador-geral do município, todos presos. A decisão do procurador-geral se baseou nas investigações da Operação Assepsia, que apontou irregularidades em contratos de empresas com a prefeitura. Segundo ele, havia uma “situação geral de descalabro” em Natal.

Micarla de Souza foi afastada do cargo semana passada pelo desembargador Amaury Moura Sobrinho, que aceitou pedido do MP e determinou que o vice-prefeito Paulinho Freire (PP) assumisse a prefeitura até o julgamento do processo. Ela entrou com recurso no Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte contra a decisão. Na quarta-feira, o advogado da prefeita, Paulo Lopo Saraiva, também ingressou com pedido de habeas corpus no Superior Tribunal de Justiça (STJ) para reintegrá-la ao cargo.

Abalada, a prefeita afastada nega as acusações. Ela também reclama que foi rifada por seus aliados. Diante do escândalo, a população da capital potiguar deve se perguntar: por onde anda o senador Agripino Maia, o principal cabo-eleitoral de Micarla? Ele não adora se travestir de paladino da ética? Será que está com medo de criticar sua protegida? Estaria com o rabo preso?

5 comentários:

Anônimo disse...

Away from the city of Natal
for suspected corruption, the "green" Micarla de Souza sinks every passing day. The oligarchy potiguar fears the effects ...

Anônimo disse...


[A NITROGLICERINA ANUNCIADA! OU, IMAGINE(M) 'OS TREMORES INTESTINAIS' DOS TUCANODEMoNÍACOS (DA 'PRIVADARIA')! ENTENDA]

#########################################

Comentário de Chicogalodoido, postado em http://www.conversaafiada.com.br/brasil/2012/11/09/gilmar-provas-sao-fartas-e-contra-o-dantas-mino/
10 de novembro de 2012 às 12:36

Olha o mensalão tucano aí gente!
Fonte Correio do Brasil
Os mesmos petardos jurídicos disparados do Supremo Tribunal Federal (STF) por Joaquim Barbosa, presidente eleito da Corte e relator da Ação Penal 470, contra os principais líderes do Partido dos Trabalhadores (PT), partem agora na direção dos envolvidos na origem do escândalo que recebeu o apelido de ‘mensalão tucano’. O advogado Dino Miraglia, de Belo Horizonte, procurou a Assembleia Legislativa de Minas Gerais para pedir proteção à vida dele e de seu cliente, Nilton Antonio Monteiro, após peticionar ao Supremo para que estabeleça a conexão entre o caso conhecido como ‘lista de Furnas’ e o ‘mensalão tucano’, iniciado por Marcos Valério durante o governo do hoje senador Eduardo Azeredo (PSDB-MG).
Em linha com o estilo do ministro Barbosa de detalhar as peripécias de Valério e seus cúmplices no ‘mensalão petista’, o caso da ‘lista de Furnas’, contido no inquérito 3530 do STF, acusa tucanos de alta plumagem, entre eles Azeredo, Clesio Andrade e Walfrido dos Mares Guia, de crimes como assassinato, explosões, incêndios, perseguições e até o suborno de magistrados da própria Corte Suprema. Compra de votos, no caso, seria o menor dos pecados cometidos pela quadrilha mineira. Segundo Miraglia, fitas transcritas do depoimento de outro advogado, Joaquim Engler Filho – então ligado ao PSDB mineiro – ao delegado João Otacílio Silva Neto, no Departamento Estadual de Operações Especiais da Polícia Civil de Minas Gerais, em 24 de janeiro de 2008, “comprovam o esquema montado para abafar o ‘mensalão mineiro”.
– As fitas transcritas com o depoimento de Engler Filho, que integram o inquérito 3530, denunciam a atuação do grupo político ligado ao PSDB mineiro e nacional, na tentativa de calar o denunciante do ‘mensalão tucano’, Nilton Monteiro. Ele foi igualmente responsável por trazer a público a ‘lista de Furnas’, comprovando o esquema montado por Dimas Fabiano, ex-dirigente da empresa estatal, para favorecer e financiar candidatos e campanhas eleitorais do PSDB. Nossa petição foi para que este inquérito seja juntado à Ação Penal 536, que comprova a ação ilícita ocorrida em Minas Gerais durante a gestão tucana – afirmou Miraglia ao Correio do Brasil.
Para o advogado, o acordo de Marcos Valério para obter vantagens jurídicas com a ‘delação premiada’ não está no âmbito da AP 470, que julga o ‘mensalão petista’, mas na AP 536, da qual Barbosa também é relator.
– O Marcos Valério está entregando todo mundo do PSDB. O esquema todo, para se livrar das penas que deverá receber quando esta ação for julgada. Quanto ao ‘mensalão petista’ não há mais muito o que fazer, mas na ação contra os tucanos, ele está contando tudo o que sabe. Minas está em polvorosa, porque a AP 536, após a juntada do inquérito 3530, transforma-se em um vendaval, capaz de revelar em detalhes toda a corrupção e demais crimes cometidos pelo alto escalão da República, na época do governo do presidente Fernando Henrique Cardoso – relata Miraglia.
Leia a íntegra desta matéria na Edição Digital do Correio do Brasil
###################################

RESCALDO: “esta bandalheira golpista-midiática” vai dar …! “Espia só!”…

… Quem (sobre)viver, verá!…

República desta energúmena DIREITONA OPOSIÇÃO AO BRASIL, fascista eterna, MENTEcapta, aloprada, alienada, histriônica, impunemente terrorista, corrupta, antinacionalista, golpista de meia-tigela… (“elite estúpida que despreza as próprias ignorâncias”, lembrando o enunciado lapidar do eminente pensador uruguaio Eduardo Galeano)

Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Anônimo disse...


... E o [médico-monstro] Roger Abdelmassih - livre, leve e solto -, de forma 'plausível e crível', cometendo, "nos domínios 'de' fato" (sic), novos e sucessivos estupros *consentidos "por aí somente o Diabo e, quiçá, Gilmar Mendes sabem!"...
*é 'plausível e crível' que seja esta a interpretação do notável (idem sic) magistrado e Promotor Público DEMÓstenes Torres!...

Que país é este, sô?!...

Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Rui Nascimento disse...

Altamiro, os desmandos do DEMônio não param por aí. Esta semana o MP colocou sob suspeita a eleição da candidata do DEMônio à prefeitura aqui de Mossoró, segunda maior cidade do RN, com fortes evidências de compra de votos e uso das máquinas da prefeitura da cidade e do governo do estado, através da governadora Rosalba Ciarline, que é mossoroense e foi prefeita por três mandatos na cidade.
O MP investiga a compra de votos e pede nova eleição na cidade, tamanhas foram as aberrações no pleito local. Vale ressaltar que todas as pesquisas feitas desde antes das eleições até os últimos dias de campanha davam como certa a vitória da candidata do PSB, Larissa Rosado, e, para surpresa de todos, até mesmo de alguns correligionários, a candidata da governadora Rosalba, vereadora Cláudia Regina, venceu, o que coloca a chefe do executivo estadual sob forte suspeita, pois seu governo está pessimamente avaliado em todo o estado e Mossoró seria sua última esperança de começar a reverter o quadro de descrédito que a envolve, e uma derrota em sua terra natal seria, certamente, o fim de qualquer expectativa de reverter tamanha impopularidade. Por isso usou de todos os métodos possíveis para vencer a eleição, que para muitos estava perdida. Daí os fortes indícios de uso indevidos da máquina do governo, principalmente e inescrupulosamente na última semana de campanha.
Este é o DEM, que prega a ética como oposição, mas como situação... Diga o que eu digo, mas não faça o que eu faço.

jose aprigio de medeiros disse...

A prefeita de Natal, segundo um comentarista da TV de Ze Agripino, está vivendo um Inferno Astral. São nomes inventados por esses babacas, para encobrir os roubos dos corruptos. Só nos perguntar mesmo:QUE PAÍS É ESSE?