domingo, 20 de janeiro de 2013

PSDB despenca no Sudeste

Por Altamiro Borges

Pesquisa Ibope divulgada hoje aponta que o PSDB despencou na preferência do eleitorado da rica região Sudeste, exatamente onde se concentra o principal reduto dos tucanos, que governam os estados de São Paulo e Minas Gerais. Segundo o levantamento, encomendado pelo jornal Estadão, entre outubro de 1995 e outubro de 2012, caiu pela metade o número de pessoas que diz preferir o partido - de 14% para 7%. A pesquisa deve acender o sinal de alerta na cúpula tucana, que já estava escaldada com as derrotas em várias importantes cidades da região nas eleições municipais de outubro - principalmente na capital paulista.

Além de afundar no Sudeste, a situação do PSDB segue delicada no restante do país, com um número de simpatizantes é ainda menor: 5% no Norte/Centro-Oeste, 4% no Nordeste e 3% no Sul. Já o PT, apesar do violento bombardeio midiático durante o julgamento do chamado "mensalão", permanece como a legenda de maior preferência dos brasileiros. A pesquisa indica que ele é o partido preferido por 27% dos entrevistados no Nordeste, 26% no Sudeste, 22% no Sul e 11% no Norte/Centro-Oeste. 

O levantamento também mostra que houve uma mudança no perfil do eleitorado dos partidos. Em 1995, o PT contava com a simpatia de 23% dos brasileiros com renda familiar acima de dez salários mínimos. Hoje, apenas 13% dos eleitores deste estrato social dizem apoiar o partido - o que indica uma queda de influência junto à chamada classe média dos centros urbanos, mais vulnerável às campanhas udenistas da mídia e da oposição demotucana. Já o PSDB atinge 23% de preferência neste segmento social. Para compensar, o PT cresceu em influência junto a vasta maioria da sociedade mais explorada, enquanto o PSDB despencou.

Os dados da pesquisa Ibope sinalizam que os tucanos deverão manter sua linha política centrada na questão da ética - uma hipocrisia para um partido que reúne vários políticos mais sujos do que pau de galinheiro. A tendência é a do PSDB reforça a sua campanha udenista, furiosa, para tentar se salvar da possível extinção. A legenda dos ricaços também apostará no agravamento da crise econômica para implodir a base de apoio do governo. Neste esforço, a oposição tucana contará sempre com a inestimável ajuda da mídia. Que a presidenta Dilma e o PT não se embriaguem com os bons números da pesquisa. A batalha em 2013 promete ser das mais duras!

1 comentários:

Francisco Aguiar de Oliveira disse...

Miro,
Aqui no Ceará, o psdb:
1. Teve 2,3% de votos para a Prefeitura de Fortaleza;
2. Passou de 54 para 9(nove) Prefeituras;
3. Tem 2(dois) Deputados Estaduais;
4. Nenhum Senador. O ultimo(tasso) foi derrotado horrivelmente.
Portanto, acabou, morreu. Demos um fim no psdb/dem/pps/pig/stf/mpf.