sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

Millenium acolherá Yoani Sanchez?

Por Altamiro Borges

A blogueira cubana Yoani Sánchez, tão bajulada pela mídia colonizada, confirmou ontem que visitará o Brasil em 18 de fevereiro. Por meio de sua conta no twitter, ela festejou: “Eles me telefonaram em casa para dizer que meu passaporte está pronto! Eles acabaram de entregá-lo. Agora, a única coisa que falta é entrar num avião”. De imediato, todos os jornalões e emissoras de tevê soltaram rojões para comemorar a visita da “principal dissidente cubana”. Nos próximos dias, ela deverá ser tratada como celebridade pela mídia!

No Estadão, o documentarista Dado Galvão, frequentador assíduo do Instituto Millenium, informou que Yoani Sánchez participará da exibição do seu filme, “Conexão Cuba-Honduras”, em Vitória da Conquista, na Bahia. Segundo relatou, a passagem aérea e hospedagem foram financiadas por uma campanha organizada em seu sítio. “Cubanos radicados no Brasil ajudaram muito”, garantiu. A badalada blogueira, que já residiu na Suíça, pretende visitar outros dez países, incluindo os EUA, e deverá retornar a Cuba em abril.

Os gastos da sua turnê não serão problema. Em vários países, ela conta com o apoio de instituições famosas por seu ódio à revolução cubana. No Brasil, por exemplo, o Instituto Millenium, que reúne os barões da mídia e outros ricaços, já hospeda a blogueira como sua “colaboradora”. Além disso, Yoani Sánchez recentemente foi “eleita” vice-presidente regional do “Comitê pela Liberdade de Imprensa” da Sociedade Interamericana de Prensa, a golpista SIP, e agora conta com uma ajudinha de custo de US$ 6 mil.

Segundo o sociólogo francês Salim Lamrani, que conhece bem a sinistra história da blogueira, “a imagem que Yoani Sánchez apresenta dela mesma – uma mulher com aspecto frágil que luta contra o poder estatal e contra as dificuldades de ordem material – está muito longe da realidade. Com efeito, a dissidente cubana dispõe de um padrão de vida que quase nenhum outro cubano da ilha possui”. Para ele, a blogueira é uma fraude, fabricada e financiada por grupos internacionais, principalmente dos EUA, para atacar Cuba.

“A SIP, que agrupa os grandes conglomerados midiáticos privados do continente, decidiu nomeá-la vice-presidente de seu Comitê de Liberdade de Imprensa em Cuba. Yoani Sánchez, que como de costume é tão expressiva em seu blog, manteve um silêncio hermético sobre o seu novo cargo. Há uma razão para isso: sua remuneração. A oposicionista cubana dispõe agora de um salário de US$ 6 mil mensais, livres de impostos. Trata-se de uma renda bastante alta, habitualmente reservada aos quadros superiores das nações ricas”.

“Ao salário de US$ 6 mil mensais pagos pela SIP, convém agregar a renda que cobra a cada mês do diário espanhol El País, do qual é correspondente em Cuba, assim como as somas coletadas desde 2007. Com efeito, no período de alguns anos, Yoani Sánchez recebeu múltiplas distinções, todas financeiramente remuneradas. No total, a blogueira recebeu uma retribuição de 250 mil euros, quer dizer, uma importância equivalente a mais de 20 anos de salário mínimo em um país como a França, quinta potência mundial”.

6 comentários:

Alexfig disse...

É evidente que o Instituto Millenium vai acolher a Yoani. Ela mesma é tratada como membro de honra por lá, conforme pude conferir visitando o sítio desse clubinho de neoliberais.

Anônimo disse...

QUE CUBANOS FUERAN ESOS QUE AYUDARON? ALVARO DIAS ES CUBANO ?kkkkk,FINALMENTE SE ACABARA CON ESTA SRTA, ES SOLO DEJARLA HABLAR,ELLE SOLA SE MATARA, DESPUES DE 12 GRAMOS DE MASA GRIS RESULTA INSOPORTABLE OIR LAS BOBERIAS QUE DICE, HAYA SUPLICY PARA OIRLA, JAJAJAJ

Luis disse...

Vem passar o chapéu.

Benjamin Eurico Malucelli disse...

Mas é claro que o IMIL irá acolher Yoani Sanchez! É só ver a lista de colaboradores do Instituto...

Marcelo Delfino disse...

O governo cubano fez uma cartada de mestre, agora. Ao conceder passaporte para a matriarca cubana do neoliberalismo dar um rolê fora do país, acabou fazendo de Yoani Sánchez uma espécie de "MDB de Cuba": uma oposição consentida. Tal como o MDB durante o regime de 1964.

Faní disse...

Lamentável é ver ex-vereador e pretenso candidato a deputado do PT de Feira de Santana acolhendo e bancando essa senhora.