quinta-feira, 31 de julho de 2014

O taxista é reaça? Seja mais que ele

Por Leonardo Sakamoto, em seu blog:

O que fazer quando um taxista começa a defender barbaridades na sua frente? Preso ao banco de trás, você pode pedir para parar e descer. Discutir com ele até o destino final. Ou jogar o mesmo jogo e ver o que acontece.

Resolvi colocar em prática a sugestão de uma amiga:

- Por favor, aeroporto de Congonhas. Pode ir pela Henrique Schaumann.

- É pra já.

[Na telinha de TV do táxi] Dois menores foram apreendidos, na madrugada desta terça-feira, após uma tentativa de roubo frustrada em Moema…
- Olha só… Depois vem o pessoal dos direitos humanos e coloca tudo de volta nas ruas. Esse país não é sério. Dane-se que tem 14, 15, anos, tem que prender mesmo. Se tem idade para cometer crimes, tem idade para ir preso como se fosse de maior.

- (Silêncio meu)

- Tinha que contratar uns policiais fora do serviço para dar uma coça nessa molecada. Assim, aprendiam o que os pais não ensinaram.

- (Silêncio meu)

- Acho que tem que ter pena de morte. Vi na TV que nos Estados Unidos não tem crime porque tem pena de morte. Mata um ou dois desses com injeção e os outros vão pensar duas vezes antes de fazer porcaria.

- Olha eu concordo inteiramente com o que o senhor disse. E acho que tem que impedir essa gente pobre da periferia de ter filho. Esterilizar toda essa mulherada mesmo para que não dê à luz bandidinho de merda. Outra medida importante seria colocar uns portões nas entradas de favelas e bairros pobres e só deixar eles saírem de dia para trabalhar. E se não tiverem trabalho, não saem. Não sabe viver em sociedade, toque de recolher! E quando resolver essa questão, tem que ir para outras, botar as coisas em ordem. Vagabundo que faz barbeiragem no trânsito tem que ir preso, gente que pula a cerca em casa tem que ir preso, bêbado que fica enchendo a cara no bar e não trabalha tem que ir preso, quem sonega imposto tem que morrer! E sem essas coisas de julgamento, não. Faz e pronto, simples assim.

- O senhor é radical. Não sei se concordo com tudo isso não…

- Por que? O senhor defende vagabundo, é isso? Defende vagabundo?

- Não, mas também não é assim.

- Assim como?

- Ah, não acho certo. Tem que ver quem é a pessoa e coisa e tal. Não pode fazer isso, não. Não acho justo.

O motorista não deu um pio até o destino final. Mas, certamente, vai pensar duas vezes da próxima vez.

Recomendo. Por uma vida com menos mimimi.

7 comentários:

Ignez disse...

Há dois meses, resolvi usar a mesma tática. Fui o máximo do reacionarismo "coxinha". Parece que os reaças não têm nem ideia sobre o que dizem. Até apoiei um golpe militar para derrubar Dilma. Também aprovei muitos dos xingamentos a Dilma e fiz altos elogios ao Alckmin. O cara me achou "exagerada", também. Uma aula!

Renato disse...

Já usei a estratégia e de fato funciona. Nada de tentar convencer pelo dialogo. Carrega-se nas tintas e desarma o sujeito.

Marton Souza disse...

rrssss adorei.
vou adotar.

Emilson disse...

Grande sacada. Bateu no intestino grosso do taxista, já que não tem massa cinzenta.

Carlos disse...

Sakanada iluminando as mentes dos ultrapassados esquerdistas. Miro, me explica ai pq as crianças estão tentando entrar clandestinamente nos EUA ao invés de Cuba. Explica ai, eu tento mas nao consigo entender essa gente....

XAVIER, UM CARANGUEJO COM CÉREBRO INTERGALÁTICO disse...

Achei ótima essa tática e vou usá-la! kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Filmes Online disse...

http://filmesonlineuai.com/