quinta-feira, 17 de setembro de 2015

Bolsonaro é condenado por "estupro"

Por Altamiro Borges

O deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ), expressão patética da ofensiva fascistoide no país, foi condenado nesta quarta-feira (16) a indenizar em R$ 10 mil a deputada Maria do Rosário (PT-RS) por ter afirmado, no plenário da Câmara Federal no fim do ano passado, que não a estupraria porque "ela não merece”. A multa é irrisória, quase ridícula, mas serve de alerta ao "valentão" que prega o ódio e promove cenas de vandalismo quase diárias no parlamento - como nesta semana, ao rosnar pelo impeachment da presidenta Dilma.

Além do pagamento da indenização, também tramita no Supremo Tribunal Federal (STF) um outro processo que pede a cassação do mandato de Jair Bolsonaro por quebra de decoro parlamentar. As provas contra o "estuprador" são contundentes. Após agredir a deputada petista no plenário, ele ainda concedeu entrevista ao jornal gaúcho Zero Hora reafirmando as ameaças. "Ela não merece porque ela é muito ruim, porque ela é muito feia. Não faz meu gênero. Jamais a estupraria", afirmou o troglodita.

Diante da reação da deputada Maria do Rosário, que ingressou com ação na Justiça, o valentão até tentou afinar. Apelou para a "imunidade parlamentar" e ainda teve o cinismo de afirmar que as suas agressões não causaram "danos indenizáveis". A juíza Tatiana Dias da Silva, da 18ª Vara Cível de Brasília, porém, não acatou os seus argumentos e manteve a condenação. Os grupelhos fascistas, que promovem marchas pela volta da ditadura, possivelmente acusarão a juíza de "petralha" e prestarão total solidariedade ao deputado "estuprador". A mídia golpista, por sua vez, deverá abafar o caso!

*****

Leia também:








1 comentários:

Sandra disse...

Precisamos de uma reforma política que não permita a candidatura de bolsonaros. É uma vergonha para o Brasil ter pessoas desse nível no congresso.