quarta-feira, 4 de novembro de 2020

Capitão Wagner cai no CE. Culpa do Bolsonaro?

Por Altamiro Borges

Nas eleições de 2018, no tsunami fascista que devastou o Brasil, muita gente pegou carona na campanha do “capetão” Jair Bolsonaro e se deu bem. Uma escória de oportunistas e outsiders foi eleita para os cargos de governadores, senadores e deputados federais e estaduais. Agora, porém, os bolsonaristas estão em apuros!

Um caso exemplar é o do Capitão Wagner (Pros), um dos chefes dos motins policiais no Ceará, que aparecia folgado à frente em todas as sondagens anteriores na disputa pela prefeitura de Fortaleza. A última pesquisa Ibope, divulgada nesta terça-feira (3), mostra que o queridinho de Jair Bolsonaro está em queda.

A pesquisa foi encomendada pela TV Verdes Mares, afiliada da TV Globo no Ceará. "O levantamento mostra um triplo empate na liderança da corrida eleitoral na capital cearense, considerando a margem de erro de três pontos porcentuais para mais ou para menos", informa a revista Veja, que complementa a notícia:

O valentão já esconde o "capetão"

"O presidente da Assembleia Legislativa do Ceará, José Sarto (PDT), avançou treze pontos, de 16% para 29%, e chegou à liderança numérica da pesquisa. Os deputados federais Capitão Wagner (Pros), que passou de 28% para 27%, e Luizianne Lins (PT), que foi de 23% pra 24%, vêm em seguida".

Se bobear, o tal Capitão Wagner pode nem ir ao segundo turno. Metido a valentão, o ex-líder do motim da PM até já vinha ocultando o nome de Bolsonaro na sua campanha, temendo seu desgaste. Mas a manobra marqueteira parece que não enganou os eleitores de Fortaleza e ele segue em queda. A vida é cruel!

1 comentários:

Anônimo disse...

O Bolsosastre é o Mick Jagger da política: onde o miliciano põe a mão é destruição concerteza