quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Escola do MST recebe melhor nota do Enem

Por Altamiro Borges

Nos últimos dias, a mídia demotucana tem feito um grande alarde contra o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Devido a falhas lamentáveis em algumas provas, ela decidiu transformar o assunto na sua primeira bandeira de oposição ao futuro governo Dilma Rousseff. De quebra, ainda presta um serviço à poderosa indústria do vestibular e às faculdades privadas. O Grupo Folha, dono da gráfica que imprimiu as provas irregulares, é um dos que mais fustiga o Enem.

Com sua cobertura enviesada e manipuladora, a mídia omite fatos curiosos do Enem. Um deles, que ela nunca divulgaria, é que a Escola Semente da Conquista, localizada no assentamento 25 de Maio, em Santa Catarina, foi o destaque do Exame Nacional em 2009, conforme noticiado na página oficial do Enem. Ela ocupou a primeira posição no município, com nota de 505,69.

Semente da Conquista

Nesta escola estudam 112 filhos de assentados, de 14 a 21 anos. Ela é dirigida por militantes do MST e os professores foram indicados pelos próprios assentados do município de Abelardo Luz, cidade com o maior número de famílias assentadas no estado. São 1.418 famílias, morando em 23 assentamentos. A primeira colocação no Enem foi comemorada pelas famílias de sem-terra.

A mídia, porém, nada falou sobre esta vitória. Segundo o sítio do MST, “essa conquista, histórica para uma instituição de ensino do campo, ficou fora da atenção da mídia, como também é pouco reconhecida pelas autoridades políticas de nosso estado. A engrenagem ideológica sustentada pela mídia e pelas elites rejeita todas as formas de protagonismo popular, especialmente quando esses sujeitos demonstram, na prática, que é possível outro modelo de educação”.

“A Escola Semente da Conquista é sinal de luta contra o sistema que nada faz contra os índices de analfabetismo e êxodo rural. Vale destacar que vivemos numa sociedade em que as melhores bibliotecas, cinemas, teatros são para uma pequena elite... Mesmo com todas as dificuldades, a escola foi destaque entre as escolas do município. Este fato não é apenas mérito dos educandos, mas sim da proposta pedagógica do MST, que tem na sua essência a formação de novos homens e mulheres, sujeitos do seu processo histórico em construção e em constante aprendizado”.

.

11 comentários:

Peter disse...

O silêncio da Grande Mídia em relação a qualquer conquista social que não lhe interesse é ultrajante... Eu acredito que o MST deveria ser parabenizado por esta conquista, e, também, por provar que ensino público de qualidade É possível. Basta ter vontade e coração.

Pamela disse...

Foi com um imenso orgulho no peito que li esse texto. Sou professora desta escola e percebi, de fato, o ano de 2009 como o ano dos meus alunos. Sou professora de Língua Portuguesa e muito batalhamos (eu e meus alunos) para que conseguíssemos tal êxito em 2009. Entretanto, nem o próprio município foi "capaz" de felicitar a escola ou, até mesmo, orgulhar-se por isso. Tivemos apenas a contribuição, na divulgação dos fatos, da Rádio Terra Livre, a qual está localizada no mesmo assentamento que a escola. É lamentável perceber que o povo e os militantes do MST ainda são tão cruelmente alvos de PRÉ-conceitos e exarcebadamente criticado pela mídia.
Esse ano, o trabalho do corpo docente foi ainda mais efetivo para tentarmos manter, e/ou até mesmo melhorar, o bom índice obtido há um ano. O empenho dos alunos, foi ainda maior, pois sentiram-se estimulados e incentivados por essa meta.
Não sou assentada. Sou uma professora convidada a fazer parte deste ilustre grupo. Minha carreira profissional iniciou lá. E disso, me orgulho muito! Se a mídia não faz a sua parte, nós, pelos menos, estamos tentando.

uma pá de ideia disse...

oi, pamela. por favor, como consigo mais informações sobre a escola? de qualquer maneira, obrigado.
pedro

Renata disse...

Mil perdões, mas, em que pese todo o meu apoio ao MST e todo o mérito da escola, esta notícia me parece um tanto parcial. Além de faltar um obrigatório link para os dados na "página oficial do Enem", cria-se um fato que me parece questionável: a escola ter sido "destaque" no Enem. Ora, pelo que pude checar, buscando eu mesma na página do Enem (gosto das coisas bem explicadinhas), a escola ficou em 1º lugar num município com 3 escolas, ao todo, sendo que uma delas não ranqueou. Das provas objetivas, teve nota menor em todas, em relação ao 2º lugar, ficando em 1º apenas na redação, o que puxou a média final para cima. Repito: não é para tirar o mérito nem da escola, nem do MST, mas, ao publicar uma notícia assim, comete-se o mesmo crime de jornalismo parcial que criticamos em relação à "mídia nativa", "PIG" e afins. Não vejo quem ganha com isso...

vanisa razuk disse...

Estou seguindo o blog... muito bom!
Vou divulgar esta matéria em meu blog, por achar que a notícia deve ser conhecida por mais pessoas.
Parabéns aos professores e alunos da Escola Semente da Conquista, do MST.
VANISA RAZUK
RÁDIO MONGAGUÁ FM 92.5
http://radiomongagua.blogspot.com

Carlos Ritter disse...

Não sou defensor do Grupo Folha e também me incomodo bastante com a atuação da grande mídia. Entretanto, a gráfica que imprimiu as provas irregulares do ENEM 2010 foi a RR Donnelley.

Luizana disse...

É com muito orgulho que escrevo...como diz minha colega Pamela...Sou também educadora da Escola Semente da Conquista e da Escola Paulo Freire, ambas em Abelardo Luz-SC, escolas de assentamentos e coordenados por educadores e militantes do MST. Não sou assentada, mas vivo no Assentamento José Maria, Ab. Luz desde inicio de 2007. Vim da capital, Florianópolis, atraída pela proposta de uma educação diferenciada, longe das grandes metrópoles, em favor da construção de uma nova sociedade.
Nossas escolas além de ficarem aproximadamente 35 km longe da cidade, contam com estradas em más condições, onde ônibus escolares passam por locais distantes cerca de 12km longe da escola. Onde nossos jovens convivem com discriminação de parte da sociedade, onde são chamados de "acampados" e de coisas até piores.
É claro, que a nota obtida pelos educandos no Enem em 2009(505,69) está longe da enorme missão que nos foi confiada,da educação emancipadora que desejamos que nossa juventude tenha, temos que avaliar que nossas escola são duas escolas construídas recentementes cerca de 6 anos e que quando comparadas com a dita escola da "cidade" a qual já fomos extensão, onde as condições postas são muito melhores é que a MELHOR NOTA DO MUNICÍPIO deve ser comemorada e exaltada SIM...

Fernanda disse...

Acredito que, independente de quantas escolas tenham na cidade, é um mérito tremendo que a melhor seja uma escola do MST. Aliás, ainda que o que tenha empurrado a nota para cima tenha sido a redação, é fato de se comemorar SIM!
Redação é hoje em dia muito mais valiosa do que as demais provas em qualquer vestibular que seja. Precisamos de jovens que saibam transmitir suas idéias de forma clara e bem argumentada, digna de pensadores. Se os jovens deste assentamento possuem isto, eles já estão um passo à frente!

Neli disse...

"Semente da Conquista", Parabéns! Fico emocionada ao ler tal notícia. Como atuante por muitos anos das CEBs - Comunidades Eclesias de Base - RS, sei das dificuldades em contruir um projeto como este. Lutar contra o preconceito e a repressão é desafiador. Louvo aqui o MST, o corpo docente, os alunos (as), os assentados (as) e ao grande Paulo Freire, que nos deixou sua (que é nossa) "Pedagogia do Oprimido e da Autonomia". Ótimo que a nota mais alta tenha sido a de redação, dessa forma a história do MST será contada por eles e elas, agentes de transformação, talvez de uma nova mídia. Uau!! Grande abraço, Neli Germano

Anônimo disse...

Ridículo esse blog afirmar que o Enem só teve "falhas lamentáveis". Não foram falhas quaisquer. A folha de respostas estava errada. O básico não foi revisto... sem falar no milhões de reais perdidos por incompetência na logística. É fácil culpar os jornais.

Luiz disse...

Parabéns para os professores da escola. Mas vangloriar que ficou em primeiro entre 3 escolas da cidade e culpar a mídia que não deu destaque?? Além disso, porque não citou a média da escola de SC que ficou em 1o. lugar? E porque não comparar com escolas de Florianópolis, onde muitas ficaram com mais de 600?? Outros blogs que postaram a mesma notícia corrigiram o título para "Escola do MST tem excelente nota no Enem"