sexta-feira, 22 de junho de 2012

Veja apoia o golpe no Paraguai

Por Altamiro Borges

O blogueiro oficial da revista Veja acaba de postar um texto efusivo em apoio ao golpe no Paraguai. Para o patético Reinaldo Azevedo, a destituição do presidente “é constitucional e democrática... No Paraguai, triunfou a lei. É tão evidente a vinculação de Fernando Lugo com os ditos sem-terra, convertidos em força terrorista, que os dias a mais para a defesa não fariam diferença no mérito”.


No seu linguajar agressivo, o colunista da Veja chega a sugerir que “o melhor que este ex-bispo fazedor de filhos tem a fazer é cair fora sem resistência. O sistema democrático pode sobreviver sem ele”. O fascista simplesmente despreza o voto de 41% dos paraguaios, que elegeram democraticamente o presidente deposto agora por forças reacionárias. Ele mostra todo o seu ódio à democracia!

América Latina em risco

Azevedo também critica a Unasul e o governo Dilma. “Não adiantou a pressão da Unasul, com destaque para o papel equivocado de sempre da diplomacia brasileira, que tentou intimidar o parlamento paraguaio... Governos latino-americanos tentaram criar uma nova ‘Honduras’. Lembram-se da novela sobre a deposição do chapeludo Manuel Zelaya e da confusão armada por Celso Amorim? Pois é… Também naquele caso, um presidente eleito tentou atropelar a Constituição que o elegeu”.

Para ele, que expressa descaradamente o pensamento da maior parte da mídia, o golpe no Paraguai representa uma derrota dos “governos do subcontinente ideologicamente alinhados com Lugo”. Lembra que “a Venezuela ainda não faz parte do Mercosul justamente porque o Senado paraguaio [o mesmo que hoje deu o golpe] se negou a aceitar a companhia do Beiçola de Caracas”.

8 comentários:

Itamar (japa) disse...

A democracia está de luto na América Latina, mais uma vez .. a veja me da nojo mais uma vez, como sempre!!!

Regina disse...

Muitas vezes me pergunto se o desprezo a esse sujeito não seria o melhor remédio. Literalmente tenho vontade vomitar quando leio o besteirol dele.

Marcelo Rodrigues disse...

“a Venezuela ainda não faz parte do Mercosul justamente porque o Senado paraguaio [o mesmo que hoje deu o golpe] se negou a aceitar a companhia do Beiçola de Caracas”...

Pelo menos isso: com este golpe o Paraguai Senatorial cai fora do Mercosul e entra a Venezuela.

Pregopontocom@tudo disse...

Esse Reinaldo AZÊDO é uma lástima atolado na lama da sua possilga reacionária...

Anônimo disse...

Não sei se o meu comentário conseguiu barrar a barreira do robot.
Vai aqui de novo: por certo tem interesse contrariado de Cachoeira por lá, para a VEJA defender. Será que ele queria os cassinos e Lugo negou?

Ignez disse...

Reinaldo Azevedo é uma das excrecências do planeta. Só poderia trabalhar nesse detrito de maré baixa que é a Veja. Desprezível, desprezível e desprezível.

Luiz Brasileiro disse...

Os fatos permitem inferir que devemos ficar atentos para esta modalidade de golpe fora do convencional - os golpes convencionais sempre cumpriram a cartilha dos golpistas ao colocarem os tanques nas nas ruas, efetuar prisões de adversáriso, invervenção em centrais sindicais, etc. como estamos calejados de saber.

A nova modalidde de golpe passa por atentados contra a ordem constitucional bastante mascarada de legalidade tal como aconteceu em Honduras com o presidente Zelaya, na tentativa canhestra na Venezuela contra Chavéz e uma bisonha mistura das duas modalidades no Equador contra o presidente Correa.

O ex-presidente Lula escapou por um triz de golpe análogo com a estória de "mensalão" inventada pelo PIG, mas não devemos esquecer que os golpistas acumulam conhecimento e experiência com as tentativas fracassadas.

No caso do Paraguai o golpe é evidente embora este deliquente, o pistoleiro da VEJA, tente encobrir que é impossível a admissão, o processamento e a votação de um impeachment em menos de 48 horas.

Não esqueçamos o que disse Clausewitz: "O tempo é o patrono da defesa." Neste golpe fica evidente a farsa pois os fatos não sustentam a acusação e a violação do direito de defesa é inconteste, menos de 24 horas para a preparação da defesa e duas horas para a sustentação oral no senado.

Vamos nos preparar com conhecimento e instrumentos para enfrentar golpe análogo aqui no Brasil pois a direita vai tentar de novo depois do fracasso do "mensalão".

Primeiro, devemos saber que sem o PIG para tentar engrupir a opinião pública não é possivel sequer tentar esta nova modalidade de golpe; segundo, a mobilização da sociedade é fator que impede a corja de assaltar o poder por qualquer tipo de golpe, lembremos da cadeia da legalidade liderada por Brizola em 1961 que impediu o golpe contra Jango.

Mas para a sociedade se mobilizar não se admite improviso, devemos trabalhar com antecedência nos preparando para defender a democracia, nos sindicatos, nos movimentos sociais e nos partidos.

Anônimo disse...

Meu caro Altamiro, a veja não tem mais crédito nenhum portanto, não faz mais a menor diferença o que ela diz.