domingo, 2 de setembro de 2012

Gurgel nada viu contra Perillo

http://ajusticeiradeesquerda.blogspot.com.br/
Por Eduardo Guimarães, no Blog da Cidadania:

Que aproveitem bem a comemoração pelo êxito provisório desse esquema criminoso que uniu setores do Poder Judiciário, do Ministério Público, do Legislativo e da imprensa em um conluio para produzir a farsa estupradora de direitos civis em que se converteu o julgamento do mensalão, pois cedo ou tarde terão que responder por seus crimes.


Chega a ser piada: a autoridade que deu curso a esse processo na forma como está sendo conduzido se chama Roberto Gurgel. Ele condenou o deputado petista João Paulo Cunha por ter sacado (ou mandado sacar) 50 mil reais na boca do caixa, pagos por um esquema supostamente criminoso.

Gurgel é o mesmo que não viu nada demais quando lhe chegou às mãos a informação de que o governador de Goiás, Marconi Perillo, no exercício do cargo estava fazendo transações pessoais de milhões de reais com o bicheiro Carlos Cachoeira, indicando funcionários públicos em seu governo a mando do mesmo e até confraternizando com ele.

Detalhe: tanto é que Gurgel não viu nada demais nas relações entre Perillo e Cachoeira que só abriu inquérito contra o governador de Goiás anos depois de saber de suas relações e só porque o mesmo pediu

É uma piada esse julgamento do mensalão. A condenação de João Paulo Cunha fez dele o PRIMEIRO – isso mesmo, leitor, o primeiro – político condenado na história do STF. Ou seja: nunca antes na história deste país outro político mereceu ser condenado naquela Corte. Começou por um acusado de receber 50 mil…

O pior não é isso. Não há um vínculo direto entre quem é acusado de pagar João Paulo e ele. Ao menos um vínculo sequer parecido ao que há entre Perillo e Cachoeira.

Marcos Valério não vendeu casa a João Paulo, não conseguiu que indicasse funcionários para a Câmara dos Deputados, não recebeu do publicitário telefonema de felicitações pelo aniversário nem nada. Perillo se envolveu em tudo isso e Gurgel não viu nada demais (!). Onde é, diabos, que o Brasil melhorou com essa farsa?

5 comentários:

Anônimo disse...

O mais espantoso na condenação de João Paulo Cunha reside no seguinte fato: Se ele foi condenado por pagar um serviço que não foi prestado (peculato), as empresas que receberam este valor não deveriam devolvê-lo?
Por que o Ministro Joaquim Barbosa não faz as empresas devolverem este dinhehiro à Câmara? Será que ele tem coragem de exigir a grana de volta??

José Erivaldo Ferreira Silva disse...

Os motivos pelos quais Gurgel nada viu contra Perillo:
Por omissão, é caso bem conhecido;
Por interesse, atuando de forma politica;
Por receio, medo da mídia;
Por conluio, pois faz parte da tropa do PSDB/DEM;
Por Loucura, sempre o é;
Por Querela, para acabar um processo;
Por Zelo, pois é o PREVARICADOR DA REPÚBLICA

Luis disse...

Podes crer. Nessas horas fica-se a favor de uma luta armada. Esse Gurgel é o maior conivente da História do país e faz cara de que é isso mesmo e dane-se, pois sabe que nada lhe acontecerá.

Anônimo disse...

O mal por si próprio se destrói e
a lei do retorno é inexorável;pode
demorar mas vem.Um dia esse procura
dor recebe 0 que lhe está reservado
e terminará sua vida pública total-
mente desmoralizado.

Testando o Blogger disse...

Uma farsa perigosa.. cuspiram na constituição..