terça-feira, 7 de outubro de 2014

O que diz o eleitor de Aécio

Por Geraldo Galindo

O eleitor de Aécio diz ser um defensor da democracia, das liberdades democráticas e acusa a esquerda de defender ditaduras. Esse é o mesmo eleitor que deposita nas urnas 700 mil votos para Bolsonaro, um parlamentar defensor de exílios, torturas e assassinatos cometidos pelos militares no longo período de autoritarismo no Brasil.

O eleitor de Aécio diz que o PT quer cercear a imprensa e implantar a censura no país, mas ele não se importa que em Minas, durante os 12 anos do PSDB, os grandes meios de comunicação foram rigorosamente amordaçados, com política planejada de perseguição a qualquer um que ousasse fazer o menor questionamento ao imperador. A propósito, sugiro ao leitor pesquisar os jornais de Minas na cobertura da eleição para ver como funciona a “liberdade de expressão” do PSDB. Até pressão e chantagem para que jornalistas participem da campanha aecista não falta.

O eleitor de Aécio diz que na disputa presidencial tem de haver alternância de poder, tem de renovar, mas ele não aceita que isso aconteça em São Paulo, Goiás, Paraná etc.

O eleitor de Aécio Neves diz que o eleitorado de Dilma é analfabeto, não sabe votar, é ignorante. E lá em São Paulo, onde estariam os “esclarecidos”, se elege Russomano e Tiririca com quase 2,5 milhões de votos somados. E elegem bancadas do que existe de mais reacionário entre policiais, evangélicos, apresentadores de TV etc. Estes estarão de prontidão no congresso para impedir avanços para o povo e aprovar medidas regressivas.

O eleitor de Aécio diz que o Bolsa Família é inaceitável, que ele paga impostos para sustentar preguiçosos. Mas ele próprio ou seu pai/mãe estuda/estudaram numa universidade pública estadual ou federal. Para ele, bolsa é só quando beneficia pobre, se beneficia a ele, é obrigação o estado investir nos “mais qualificados.”

O eleitor de Aécio é contra a cota de estudantes pobres e negros nas universidades. Ele acha que todos devem disputar em condições de igualdade no funil do vestibular que define os mais aptos. Mas não liga pra o fato de ele próprio e seus pares terem estudado nas melhores escolas privadas enquanto os demais estavam nas escolas públicas de qualidade bastante inferior.

O eleitor de Aécio diz que é contra o PT por conta do mensalão, mas ele não se incomoda nem um pouco que o esquema fora organizado inicialmente pelo grupo de seu candidato a presidente em Minas e que viria depois a se repetir. Eles ignoram completamente o mensalão do DEM em Brasília quando o governador José Roberto Arruada foi filmado com pacotes de dinheiro e depois preso num caso que é tido como dos maiores casos de suborno na história do país.

O eleitor de Aécio diz que não vota em corrupto, mas estava pronto pra eleger em primeiro turno para o Governo de Brasília o candidato protagonista do escândalo acima citado. A Lei da Ficha Limpa impediu que o eleitor de Aécio elegesse um corrupto aliado, mas ele caminha pra eleger o indicado por Arruda, do mesmo esquema.

O eleitor de Aécio diz que o “mensalão” pagava mesadas a deputados para aprovar votações do governo no congresso, mas ignora solenemente os áudios onde deputados dizem ter recebido R$200 mil cada para aprovar a emenda da reeleição de FHC.

O eleitor de Aécio diz que José Dirceu é um chefe de quadrilha, mas tinha com ídolo o ex-senador Demóstenes Torres (DEM), colocado pela Revista Veja como o guardião da moralidade. Demóstenes foi desmoralizado completamente por associação com a quadrilha de Carlinhos Cachoeira e acabou perdendo o mandato.

O eleitor de Aécio Neves diz que o assessor do PT preso com dinheiro na cueca deve ser permanentemente achincalhado, mas não se importa que um outro, assessor do deputado federal Bruno Covas (PSDB), filho do ex-governador de São Paulo, tenha sido preso no aeroporto com R$100 mil uma semana antes desta eleição. Fosse um assessor do PT seria capa de Veja e depois desmoralizado em todos os canais de TV.

O eleitor de Aécio Neves diz que é contra o PT pela prática do loteamento de cargos entre aliados. Mas ele não se incomoda quando o PSDB distribui esses mesmos cargos entre os partidos que sustentam seus governos. Aqui em Salvador o prefeito ACM Neto ganhou a eleição denunciando que o PT faria isso e depois de eleito nomeou para as secretarias os indicados pelos partidos que o apoiaram.

O eleitor de Aécio Neves diz que o PT aparelha o estado, mas não se importa que Aécio Neves tenha contratado dezenas de milhares de funcionários públicos sem concurso público em Minas.

O eleitor de Aécio diz que todas as pesquisas que indicavam Dilma na dianteira no primeiro turno eram compradas pelo PT porque onde ele anda todos votam no senador mineiro, mas ele não nega a veracidade das mesmas pesquisas – dos mesmos institutos (IBOPE E DATA-FOLHA) –, que davam vantagem ao candidato tucano em São Paulo.

O eleitor de Aécio diz querer erradicar a corrupção, mas vota tranquilamente num candidato que quando governador torrou R$14 milhões dos cofres públicos para construir um aeroporto nas proximidades da fazenda de seus familiares, entregando a chave a um tio.

O eleitor de Aécio diz ser Hugo Chaves um ditador - no país que mais fez eleições no mundo nas últimas décadas –, mas os ditadores da Arábia Saudita, Bahrein, Catar e Jordânia são chamados por ele de “reis”, da mesma forma como são tratados pelo New York Times e Rede Globo. Nestes países sequer há eleições, não há parlamentos e as mulheres são submetidas a todo tipo de privação e os homossexuais à mais cruel opressão, mas não são ditaduras, são monarquias.

Concluindo, o eleitor de Aécio não diz a verdade nos seus argumentos. O que o incomoda não é a corrupção, não é aparelhamento, não são ameaças às liberdades. O que o incomoda de fato é a ascensão social dos despossuídos desse país. Isso, sim, para os herdeiros da casa-grande é inaceitável, daí o ódio que se traveste na defesa do falso moralismo.

* Geraldo Galindo é da direção estadual do PCdoB – Bahia.

3 comentários:

Emilson disse...

Nada dos feitos que o PT mostrar vai reverter em votos dos contras se não mostrar a corrupção do PSDB. O que está no consciente daqueles não vota no PT é que o partido é isso que a oposição e a mídia diz. Portanto, Dilma precisa rebater Aécio como fez a Luciana Genro, colocando o PSDB no devido lugar.

Unknown disse...

Seu blog é muito maneiro, gostei muito dele e da variedades de assuntos se quizer visite o meu em http://detudoumpoucoapouco.blogspot.com.br/

curcciodiretor@yahoo.com.br disse...

FERNANDO HENRIQUE se aposentou com um salário de atuais 40 salários mínimos, com apenas 36 anos de idade.

Depois são os NORDESTINOS, os APOSENTADOS e os que VOTARAM EM DILMA, que são os desinformados.

ACORDEM NORDESTINOS DE SÃO PAULO. Não envergonhem mais a PÁTRIA NORDESTINA.