domingo, 17 de maio de 2020

Mentiras e covardia da Folha contra Cuba

Charge: http://www.cubadebate.cu/
Por Fernando Morais, no blog Nocaute:

Cuba é um país pequeno, pobre e há sessenta anos agredido militar e economicamente pelos Estados Unidos, a mais rica e poderosa potência militar que o mundo moderno conheceu.

Cuba enfrentou doze presidentes dos EUA – democratas e republicanos, pretos e brancos, insanos e sadios – e já enterrou seis deles, mas nunca se rendeu, nunca se vendeu, nunca se acocorou.

Uma das virtudes da Revolução Cubana reconhecida até por seus piores inimigos é a generosidade.

Desde 1960, dezenas de milhares de médicos cubanos socorrem populações em todo o mundo.

Da América Latina à Ásia, do sul da África à Europa.

País que pode pagar pelos serviços médicos cubanos, paga. Quem não pode, não paga. Socorrem até os inimigos, como aconteceu em 1972, no terremoto da Nicarágua do ditador Anastásio Somoza, que matou vinte mil pessoas.

A pandemia do Coronavírus deu visibilidade planetária ao trabalho incansável dos profissionais de saúde de Cuba.

Todo mundo viu, todo mundo reconheceu e elogiou.

Menos a Folha e sua “especialista em América Latina”, Sylvia Calombo.

Para ela (as matérias são assinadas) e para o jornalão da Boca do Lixo, o trabalho dos médicos cubanos é “parte do aparato de propaganda do regime ditatorial”, conforme aparece na edição de hoje.

Matéria publicada na Folha de S. Paulo, neste sábado (16).

A especialista Calombo faz como o macaco que esconde o próprio rabo para falar mal do rabo alheio: enquanto o Brasil já tem 220 mil contaminados e quase 15 mil mortos, Cuba registrava, até ontem, 1800 contaminados e 79 óbitos.

O jornal do Fria (sim, no singular, só sobrou um) dirá: esse embusteiro comunista está misturando dados para confundir os incautos, já que o Brasil tem 210 milhões de habitantes e Cuba apenas 11 milhões. Ah é?

No Brasil temos 1040 contaminados por milhão de habitantes – em Cuba são 164 por milhão de habitantes.

Nos óbitos os números são semelhantes: no Brasil, morreram 71 pessoas por milhão de habitantes.

Em Cuba são 7 por milhão. Enquanto o Brasil testa 3.462 habitantes por milhão, Cuba testa 7.048 por milhão.

Ontem, dia 15 de maio, morreram 824 brasileiros contaminados pela praga.

Em Cuba não há registros de óbitos há três dias.

A cobertura da Folha tem nome: canalhice, covardia, safadeza, mentira, anti-jornalismo.

Eu leio a Folha com náuseas, mas faço isso por obrigação profissional.

Se você lê para se informar, problema seu.

3 comentários:

Unknown disse...

Parabéns pela matéria esclarecedora sobre A "Ilha do Comandante Fidel", que pertence ao mundo solidário.
Só tenho que agradecer a profissionais como você.

Flama disse...

FOLHA E SEU JORNALISMO LIXO. ESTÁ NO FIM . QUER APARECER XINGANDO CUBA. TURMA DE CALHORDAS IMBECIS.

Flama disse...

LIXO. LIXO. LIXO .