terça-feira, 27 de julho de 2021

Bolsonaro inabilita fundação da Globo

Por Altamiro Borges


Como diz o provérbio espanhol, "cria cuervos que te sacarán los ojos”. Jair Bolsonaro está decidido a arrancar os olhos da Rede Globo. O site Farofafá destaca que o "governo inabilita a Fundação Roberto Marinho e pede R$ 54 milhões de volta". O baque é violento e sinaliza que não haverá paz entre o fascista e o império global, que ajudou a gestar o monstro!

Segundo a reportagem, "o Ministério do Turismo editou nesta segunda-feira, 26 de julho, uma portaria na qual inabilita por três anos a Fundação Roberto Marinho para captação de recursos públicos e cobra a devolução de R$ 54 milhões ao Fundo Nacional de Cultura (FNC), referentes ao montante aplicado na construção do Museu da Imagem e do Som do Rio de Janeiro, na Praia de Copacabana”.

Como explica o site, a fundação é um dos maiores captadores de recursos incentivados do Brasil. São vários projetos bancados pela instituição. “Ela já captou R$ 223 milhões para obras e atividades culturais das mais distintas... A retaliação do governo Bolsonaro é um ato de violência e configura também censura, pela via do cerceamento econômico”.

Impedida de captar recursos por três anos

No mesmo rumo, a Folha registra que a rejeição do projeto do MIS representa um duro golpe para a instituição ligada ao Grupo Globo. “Com a reprovação, a Fundação Roberto Marinho ficará impedida, por três anos, de apresentar novos projetos no âmbito da Lei Rouanet. O impedimento é regulado por uma instrução normativa publicada em 2019, já no governo Bolsonaro”.

O secretário especial da Cultura, o medíocre ex-ator global Mario Frias, foi ao Twitter festejar a decisão. “As auditorias dos projetos da Lei Rouanet são parte fundamental para moralizarmos os mecanismos de fomento à cultura. É prioridade, na minha gestão, auditar todo o passivo de R$ 13 bilhões, para identificar e punir o mau uso do dinheiro do nosso povo”.

Como lembra a Folha, “a reprovação vem após Mario Frias criticar outra obra implantada pela Fundação Roberto Marinho, o Museu da Língua Portuguesa, em São Paulo. O ator veio a público condenar o uso do pronome neutro ‘todes’ pelas redes sociais oficiais do museu”. Também pelas redes sociais, o fascistinha ressentido afirmou que “o governo federal investiu R$ 56 milhões nas obras” do museu e que “não aceitarei que esse investimento sirva para que agentes públicos brinquem de revolução”.

2 comentários:

Ronaldo disse...

Sou plenamente a favor de investigar as milionárias verbas federais para a Globo.
Com certeza vai aparecer hiper faturamento. O governo da a grana e a receita fica com a Globo. No museu do amanhã é assim.

Unknown disse...

Passivo de R$ 13 bilhões sem justificativa ?
Merece uma reportagem do Globo Repórter!