sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

Papa vai exorcizar Reinaldo Azevedo?

Por Altamiro Borges

Reinaldo Azevedo – também apelidado de “pitbull da Veja” e de “rottweiler da Folha” numa baita injustiça contra os cãezinhos – está irritado com o Papa Francisco. Além de receber os movimentos sociais no Vaticano, de intermediar o reatamento diplomático entre EUA e Cuba e de dar uma chacoalhada na decadente hierarquia católica, o pontífice argentino ainda resolveu criticar a libertinagem da mídia. “Há limites para a liberdade de expressão”, afirmou o religioso na sua visita às Filipinas. Esta declaração, na contracorrente da comoção criada pelo atentado ao jornal “Charlie Hebdo”, deixou o jornalista histérico. Em artigo publicado nesta sexta-feira (16), na Folha, ele rosnou: “Francisco, por que não te calas?”.

Para o “libertário” Reinaldo Azevedo – que até hoje não prestou solidariedade aos seus colegas demitidos na Veja e na Folha –, as opiniões do Papa sobre o atentado na França “são covardes, imprecisas e politiqueiras”. Ele até admite que rejeita a linha satírica do jornal francês. “Não gosto do ‘Charlie Hebdo’. Não vejo graça numa charge em que Hitler aparece saltitante, dando um alô pra ‘judeuzada’. Ou em que o papa Bento 16 troca carícias com um soldado da Guarda Suíça. Ou em que um árabe lambe o traseiro de um judeu”. Mas garante que, mesmo assim, defende a total liberdade de expressão. A mídia monopolista, que apoiou ditaduras sanguinárias e guerras imperialistas, também jura defender esta tal liberdade.

Contraditoriamente, porém, o “calunista” dá apoio à polícia francesa, que deteve na quarta-feira (14) “um delinquente disfarçado de humorista chamado Dieudonné. Seu lugar é a cadeia. E não porque recite discursos de um antissemitismo tarado, mas porque faz a apologia da violência”. O mundo é realmente contraditório e não cabe na visão doentia dos maniqueístas. Isto talvez explique o ódio de Reinaldo Azevedo. Para ele, “Francisco tem cabeça e postura de cura de aldeia, não de papa. Suas entrevistas ambíguas são detestáveis. Suas opiniões sobre o atentado e a liberdade de expressão são covardes, imprecisas e politiqueiras... Ainda bem que nenhum católico vai tentar me dar mil chicotadas por isso”.

Em artigo recente, o teólogo Leonardo Boff alertou que está em curso uma campanha internacional de difamação do Papa Francisco. Ela partiria de setores descontentes do próprio Vaticano e contaria com o apoio de jornalistas da mídia conservadora. O objetivo seria conter as mudanças promovidas pelo líder religioso, que visam arejar a decadente hierarquia católica no mundo. Pelo jeito, Reinaldo Azevedo decidiu reforçar o coro dos detratores do Papa. Em certa oportunidade, o próprio Leonardo Boff apelidou o serviçal da Veja e da Folha de “rola-bosta” – aquele besouro que enterra o esterco. Será que algum dia o “pitbull” será exorcizado?

*****

Leia também:







10 comentários:

Taciana disse...

Campanha pela excomunhão de Reynaldo Azevedo
Ele fica muito melhor junto de Malafaia.

sergio m pinto disse...

Não sei porque tanta preocupação com esse rola-bosta. Ele é o que é e ficar comentando suas diatribes nada mais é do que dar palanque para otário. Deixe o cara escrever para os seus coxinhas de estimação e vamos dar atenção a quem merece. Por exemplo para o Leonardo Boff.

Marcelo Delfino disse...

Sua pergunta é muito fácil de responder, Altamiro. Papa Francisco não exorcizará Reinaldo Azevedo. Afinal, Jorge Mario Bergoglio é o Papa, ora bolas. Tem mais o que fazer. Não pode perder tempo se preocupando com um reles jornalista de quinta categoria de uma mídia periférica no âmbito mundial. Se muito, deixará essa tarefa pra algum padre exorcista paulistano da época de seu amigo Dom Claudio Hummes ou de Dom Paulo Arns. Nem Dom Odilo Scherer se daria ao trabalho, porque aqui haveria uma concordância entre Dom Odilo e Reinaldo.

Antonio Paschoali disse...

Realmente quem vem dos (Fel lha ou da revista Óia ou Rede Globost)restos e detrito alojado no fundo do pantano que exala odor de carniça, só pode ter este tipo de conduta. Não entendo o porque estes que estão lá acima de todos no controle, não ajuda a melhorar a vida de todos, ou é tão ruim de serviço, que tem que fazer estas polemicas pra se aparecer.

Anônimo disse...

Acho que o Azevedo está certo: o Papa não pode ser ambíguo numa situação dessas. No mais, ficou meio forçado comparar o que fez a Hebdo com o que fez o humorista preso. Bom, ditadura midiática também é mio forçado, não?

Trindade disse...

Eu vi o artigo do Reinaldo Azevedo com outros olhos, aliás eu interpretei o texto, diante da interpretação fica a clara crítica ao líder da ICR se portar como um militante da esquerda atrasada que ainda vê que os limites quem dá são os violentos; Ou alguém pode discordar do Raul Castro e sair impune? Para mim o Charlie Hebdo era sempre agressivo nas charges, mas seus 60 mil leitores fiéis que o mantinham, cabia a mim não ler e a vida que segue, portanto, queria que eles morressem de velhos e não à bala ou pelo "controle social da mídia".

Ze Neto disse...

Morressem pelo "controle social da mídia"???? Cruzes!!!

Anônimo disse...

Pois é, ficou meio estranho censurar meu comentário anterior, que apenas mostrou contradições entre o que se prega e o que se faz. A censura só exemplificou o que falei. E se houve desrespeito (não acho), foi de nível muito menor que o outros aqui, incluindo o do texto em pauta.

Anônimo disse...

"O mundo é realmente contraditório e não cabe na visão doentia dos maniqueístas. Isto talvez explique o ódio AO Reinaldo Azevedo."

Acho que fica mais realista assim...

Anônimo disse...

Um outro texto que fornece uma visão do assunto abordado pelo Azevedo; aliás, visão parecida com a dele:

http://oglobo.globo.com/opiniao/humor-liberdades-o-papa-15140580