sexta-feira, 26 de maio de 2017

Doria mente sobre a Cracolândia

Por Eduardo Guimarães, no Blog da Cidadania:

Este post é um protesto contra a desfaçatez do prefeito de São Paulo, João Doria, que veio a público a fim de enganar os paulistanos com a mentira grosseira de que teria “resolvido” o problema da Cracolândia, região da luz, na capital paulista.

Doria divulgou um vídeo na internet no qual mostra imagens malandras que enganam a sociedade paulistana dizendo que o prefeito “resolveu” o problema da Cracolândia ao expulsar os viciados do local em que se concentravam.

No vídeo, aparece o local já limpo e sem os dependentes. Trata-se de um golpe. Os enfermos agora se concentram a cerca de 500 metros do local em que estavam antes, na praça Princesa Isabel.

Por essa e por outras, o MP-SP ameaça denunciar Doria por “improbidade administrativa”.

A imprensa está relatando que no novo local os viciados ficaram inquietos e, agora sem o apoio do programa De Braços abertos, começaram a roubar para sustentar o vício.

Essas pessoas tinham local para morar (hotéis), trabalho (como garis), tratamento e cursos profissionalizantes. Foram expulsas de onde moravam e dos trabalhos sem prévio aviso.

O comércio da região reclama do fluxo de dependentes do crack que está afugentando as pessoas da região. Os dependentes, desorientados e sem rumo, estão ameaçando os comerciantes, cometendo assaltos e usando a rua como banheiro.

O que Doria fez ao divulgar a mentira de que “resolveu” o problema da Cracolândia é um desrespeito aos munícipes e, na verdade, deveria gerar até sanções administrativas, o que, inclusive, está sendo cogitado pelo Ministério Público.

Vamos assistir ao vídeo [aqui] infame de Doria para ver as imagens verdadeiras do que está acontecendo na região, sem o filtro mentiroso usado pelo prefeito de São Paulo, que, por suas pretensões eleitorais como candidato a presidente, ameaça todo o Brasil

1 comentários:

Cocaína tratamento disse...

http://cleuzacanan.com.br/tratamento/cocaina-tratamento/

A cocaína é um extrato das folhas da coca, planta comum na Cordilheira dos Andes e que é usada há milhares de anos para manter a saúde dos habitantes em grandes altitudes, servindo como substância estimulante para a sobrevivência dos povos andinos.

Em sua fórmula concentrada, no entanto, torna-se uma droga estimulante, que tanto pode ser aspirada quanto injetada, provocando instantaneamente no usuário de cocaína uma sensação de grandiosidade, de euforia, de extremo poder e de excitação, com consequente aceleração do pensamento, provocando agitação.

Os efeitos da cocaína trazem alteração do humor, fazendo com que o usuário tenha a fala acelerada, com pupilas dilatadas. Além disso, um efeito constante ao usar cocaína é a coriza, com entupimento das vias nasais.

A sensação provocada pelo uso da cocaína duram pouco tempo, exigindo que o usuário passe a consumir quantidades cada vez maiores da droga para permanecer no estado provocado pelo seu uso.

O usuário de cocaína sente imediatamente os efeitos da substância, tendo insônia e dificuldade de concentração. Com o uso continuado, o usuário apresenta emagrecimento e, na falta do consumo, sente uma sensação de vazio, começa a passar por graves momentos de depressão e de ansiedade, provocando, em muitos casos, pensamentos persecutórios, sentido que pessoas ou autoridades estão atrás dele e que sofrerá os piores tormentos se for pego.

Quando entra na fase de abstinência da cocaína, o usuário sente novamente o desejo de usar a droga, buscando aliviar e evitar os desagradáveis efeitos de sua falta, e é assim que acaba desenvolvendo a dependência.