sexta-feira, 14 de abril de 2017

Mídia internacional “enterra” Temer

Por Altamiro Borges

Enquanto a mídia brasileira – em especial, a TV Globo – distorce a cobertura sobre a “Lista de Fachin”, dando maiores espaços às acusações contra o ex-presidente Lula, a imprensa internacional já percebeu que as bombásticas delações dos chefões da Odebrecht inviabilizaram de vez o covil golpista de Michel Temer. Nesta quinta-feira (13), os principais veículos estrangeiros registraram que as novas denúncias de corrupção devem paralisar a já capenga economia nativa, dificultar as contrarreformas dos golpistas e abalar ainda mais a já baixa popularidade do usurpador. Alguns deles inclusive já preveem o enterro do Judas.

A Agência Reuters, por exemplo, postou que o escândalo desperta os “temores de caos” no Brasil, provocando a paralisia do Congresso Nacional. “Oito ministros do governo e 12 governadores foram varridos pelas denúncias, bem como dezenas de parlamentares e quatro ex-presidentes”, diz a reportagem, replicada em 6,2 mil veículos de imprensa espalhados pelo planeta, incluindo Washington Post e New York Times. Já o jornal francês Le Monde também abordou os estragos causados no covil golpista. “Um terço do atual governo, mas também dezenas de deputados e senadores, são alvo de investigações relacionadas com o escândalo da Petrobras”, relata a jornalista Jeanne Cavellier.

Na internet, as notícias mais compartilhadas no mundo são: “Governo Temer cambaleia com novas acusações de corrupção”, do jornal ianque New York Times, e “Corrupção no Brasil: oito ministros são citados”, da rede britânica BBC. No Facebook, o destaque é para a matéria publicada no Financial Times: “São 74 políticos, incluindo oito ministros. As investigações podem desestabilizar o governo Temer num momento em que reformas difíceis tramitam no Congresso”. No YouTube, a Hispan TV ironiza: “Alguém do governo Temer está limpo?”. Já a estadunidense CNN pergunta se as “delações do fim do mundo” podem também representar “o fim do governo Temer?”.

Um dia antes, na quarta-feira, a Associated Press também havia feito a mesma indagação. Após afirmar que um “tsunami” atingiu a política brasileira, a AP lembrou que Michel Temer, alvo de processo na corte eleitoral que pode cassar seu mandato, tem apenas “imunidade temporária”. E o site Bloomberg lembrou que as investigações de “aliados mais próximos ameaçam desestabilizar o governo” do usurpador “em um momento-chave” para a sua “impopular agenda de reformas”. Para encerrar, vale citar novamente o “prestigiado” – pela cloaca empresarial – New York Times, que concluiu que as investigações em curso podem representar “outro golpe para o sitiado governo de Temer”.

Pelo jeito, a imprensa internacional está mais sintonizada com a realidade brasileira do que a mídia chapa-branca nativa!

*****

Leia também:

Odebrecht pergunta: "Por que só agora?"

Delator da Odebrecht cita Mainardi

A implosão do sistema político como meta

A crise política e a distopia tropical

Diogo Mainardi e a 'Cingapura Connection'

Temer "capitaneava" esquema do PMDB

Marqueteiro de Aécio fez site do Mainardi

Emílio Odebrecht e a hipocrisia da mídia

Globo, Odebrecht e a "sociedade privada"

2 comentários:

Valdir Freire disse...

Alguém pode explicar como o dalagnol dá uma entrevista na Bandeirantes dizendo que não prende nenhum tucano porque a lava jato focaliza os que estão/estavam no "poder" (PT) e agora o moro diz que não prende o temerário porque ele está no "poder". Algué, por favor, pode explicar?

Leonardo Marques disse...

A Mídia estrangeira DÁ UMA AULA DE JORNALISMO. aqui é um BANDO DE BANDIDOS SENDO ENDEUSADOS POR UMA SOCIEDADE BANDIDA E IMUNDA! é de dar vergonha. e não sei quem é mais cínico. temer ou a sociedade que apoia esse governo em frangalhos. no dia que essa sociedade brasileira for humilhada por essa imprensa será um vexame devastador.